Responsável por gerar 10 mil empregos diretos, as cerca de 500 empresas que produzem móveis na capital e nos municípios do entorno terão um incentivo a mais a partir de amanhã para incrementar os negócios, quando o governo do Estado reconhecerá o Polo Moveleiro da Região Metropolitana de Belo Horizonte.
A solenidade será no Museu de Artes e Ofícios, em Belo Horizonte, e estão confirmadas as participações de lideranças do governo estadual, empresários e representantes do Sindicato das Indústrias de Mobiliário e Artefatos de Madeira de Minas Gerais (Sindimov-MG).

Com a ação, a presidente do Sindimov-MG, Iara Gomes Abade, espera que o setor tenha mais acesso a incentivos para aumentar e melhorar a produção. A maior parte das fábricas está concentrada em Belo Horizonte, Contagem e Betim, mas todos os 34 municípios da RMBH farão parte do polo.

“As empresas da Região Metropolitana de Belo Horizonte produzem móveis elaborados, customizados e com detalhes mais sofisticados. Por isso mesmo, não são indústrias de produção intensiva, mas de produtos exclusivos e com alto valor agregado. Tratam-se de indústrias com características produtivas menores, porém extremamente mais complexas. O reconhecimento como Polo vai atrair o olhar dos mais diversos segmentos públicos e privados, permitindo ações que valorizem o diferencial competitivo destas indústrias”, argumenta Iara.

Ela enfatiza que há ações em andamento para dar um novo impulso ao setor moveleiro. “Estamos buscando dar maior solidez ao trabalho destas empresas nas áreas de gestão, capacitação de mão-de-obra, meio ambiente, inovação, saúde e segurança do trabalho, por meio de parcerias com o Sebrae e a Fiemg”, afirma.
Já o secretário extraordinário de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais (Seedif), Wadson Ribeiro, enfatiza a importância do setor para a economia da região. “Notadamente temos uma grande eficiência produtiva nesta cadeia em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, e em Ubá, na Zona da Mata. Reconhecemos hoje mais este polo produtivo, agora em Belo Horizonte, que reúne centenas de empresas e milhares trabalhadores em sua base – o que evidencia a sua importância na economia mineira”, argumenta.

A maior parte dos móveis produzidos na RMBH são comercializados na própria região, mas também há vendas para Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. Com a criação do polo moveleiro, a expectativa de Iara é a de que, agora, mais estatísticas do setor na região estejam disponíveis para auxiliar no planejamento das estratégias de negócios. Além de pretender aumentar as vendas para outros estados, Iara revelou que já há trabalhos voltados para a exportação dos móveis para outros países.