Greve de transportadores afeta abastecimento de combustíveis em Minas

Bruno Moreno
Bmoreno@hojeemdia.com.br
23/06/2016 às 12:58.
Atualizado em 16/11/2021 às 04:01
 (Bruno Moreno)

(Bruno Moreno)

A greve de transportadores de combustíveis na Região Metropolitana de Belo Horizonte já afeta seriamente o abastecimento na capital. Vários postos estão fechados e, mesmo que haja acordo entre a Petrobras e os transportadores, a situação não será normalizada antes desta sexta-feira (24). Os postos de bandeira BR são mais afetados pela desabastecimento. 

Na Via Expressa ainda há postos com combustível, mas as filas são enormes, chegando a fechar uma pista da via. No posto Quick, de bandeira Shell, o estoque só deveria durar somente até às 13h desta quinta-feira.Bruno Moreno / N/A

No posto Quick, na Via Expressa, a procura foi intensa na manhã desta quinta-feira

 No bairro Santa Efigênia, os tanques do posto Duas Pátrias foram abastecidos pela última vez na terça-feira (21). Ontem (22) já não havia combustíveis. A gerência deu folga a funcionários, já que não há serviço para todos. 

Outro posto que está parado é o Silva Lobo, de bandeira BR, na avenida Amazonas, ao lado do Cefet. Lá o último carro abastecido foi por volta das 16h00 desta quarta-feira (22). 

O gerente do posto, Marcos Vinicius, informou que aguarda o resultado de uma reunião entre os grevistas e a Petrobras, que está agendada para hoje à tarde. Se decidirem interromper a paralização, a situação pode começar a ser normalizada amanhã. 

Ele relata que em alguns postos, que têm grande capacidade de estoque, o litro da gasolina já aumentou até vinte centavos e o do etanol trinta centavos.

Confira os vídeos

AO VIVO no #Periscope: Falta de combustível em BH gera corrida a postos de gasolina https://t.co/pNRx8JVkKU— Jornal Hoje em Dia (@jornalhojeemdia) 23 de junho de 2016

  

AO VIVO no #Periscope: Filas imensas em postos de BH. https://t.co/oR3F4dv7iU— Jornal Hoje em Dia (@jornalhojeemdia) 23 de junho de 2016
AO VIVO no #Periscope: Postos sem combustível na avenida Amazonas, em BH https://t.co/WVAIQlBEny— Jornal Hoje em Dia (@jornalhojeemdia) 23 de junho de 2016

  

O Minaspetro, Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Minas Gerais, informou que tem recebido ligações de muitos donos de postos, reclamando que não têm combustíveis. Confira a nota, na íntegra.

várias regiões de Minas Gerais

"Minaspetro, representante da Revenda de combustíveis, tem recebido ligações de postos que já não tem produto para disponibilizar ao consumidor.
A greve dos transportadores de combustíveis, convocada pelo Sindicato da categoria em Minas Gerais (Sindtanque-MG), que acontece desde a última terçafeira, provoca grandes reflexos no abastecimento dos postos de combustíveis em todo o Estado de Minas Gerais. O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais  Minaspetro) já recebeu informações de vários estabelecimentos em Belo Horizonte e Região Metropolitana, além do interior de Minas, que já não possuem mais combustíveis para a comercialização.

O Minaspetro tem conhecimento que, desde a noite de terça-feira, 21, nenhum veículo realizou o carregamento nas bases distribuidoras próximas à Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim. A situação atual é de paralisação total, que provoca reflexos na RMBH, Conceição do Mato Dentro, Ouro Branco, Carmo do Cajurum, Norte de Minas, entre várias outros postos no Estado que procuraram o Sindicato para comunicar a falta de combustível.

Segundo o diretor do Sindtanque, Erlei de Souza Penido, reuniões acontecerão durante esta quinta-feira junto aos órgãos que o movimento grevista está encaminhando suas reivindicações. O representante dos tanqueiros ressaltou que, na manhã de hoje, o Sindtanque se reúne com a Secretaria da Fazenda do Governo de Minas, e, à tarde, o encontro será com os representantes das companhias distribuidoras de combustíveis (Sindicom).

A situação é avalidada por Carlos Guimarães Jr., presidente do Minaspetro, representante dos mais de quatro mil postos de combustíveis no Estado. “O quadro atual nos preocupa, e muito. Vários postos procuraram o Minaspetro para comunicar a falta do combustível para disponibilizar ao consumidor. A gravidade da situação exige que uma negociação entre as artes envolvidas aconteça o mais rápido possível”.

Guimarães Jr. ainda ressalta que, enquanto representante da categoria revendedora, o Minaspetro é apenas mais um elo na enorme cadeia de combustíveis. Em casos de greve como esses, o papel do Minaspetro se resume a aguardar como a situação será resolvida entre as partes envolvidas no processo. “O Minaspetro espera um rápido desfecho para a questão, de forma que o consumidor não seja prejudicado”, ressalta Guimarães Jr.É importante pontuar, ainda, que o Minaspetro entende que não há a necessidade da população promover a prática conhecida como “corrida aos postos”, com o objetivo de abastecer os veículos. A situação poderia agravar ainda mais o cenário, já que os postos teriam que trabalhar com um volume acima do normal para cada estabelecimento."

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por