Cerca de 30 reféns abuzidos em Camarões pelo grupo extremista Boko Haram no final de semana foram libertados, afirmaram militares camaroneses esta segunda-feira (19). De acordo com o porta-voz do Exército, coronel Didier Badjeck, cerca de 60 pessoas foram feitas reféns durante a troca de tiros entre militares e extremistas, que atacaram o vilarejo de Mabass, no extremo norte do país. Não se sabe quantas pessoas morrerem no ataque.

Os ataques de domingo ocorrem dias depois de o presidente camaronês, Paul Biya, anunciar que o Chade irá enviar um "importante contingente" para ajudar as tropas do país a repelir as incursões rebeldes. Biya também pediu ajuda internacional no combate aos terroristas. O Boko Haram também tem recrutado militantes em Camarões, Chad e Níger.

As ações do grupo extremista na Nigéria e em Camarões demonstram a ameaça crescente que se tornou o Boko Haram na região. O grupo extremista tenta impor a lei islâmica na Nigéria, o país mais populoso do continente, com 170 milhões de pessoas. Os militantes controlam cidades a cerca de 250 quilômetros da fronteira com o Camarões.

Fonte: Associated Press.