Brasília – O grupo extremista Assinantes pelo Sangue, comandado pelo argelino Mokhtar Belmokhtar, expulso da Al Qaeda do Magrebe Islâmico, assumiu a responsabilidade pelo sequestro de 40 estrangeiros no Sul da Argélia (África), na fronteira com a Líbia. Em comunicado, o grupo informou que a ação foi uma retaliação à participação dos franceses em favor das forças aliadas no Mali (África).

Os estrangeiros, de várias nacionalidades, foram capturados em um campo de gás na Argélia. As autoridades argelinas confirmaram que dois foram mortos - um argelino e um britânico. O local é explorado pelos grupos BP (britânico), Statoil (norueguês) e Sonatrach (argelino).

“Afirmamos que os reféns são mais de 40 pessoas, dos quais sete são norte-americanos e dois britânicos”, diz o texto atribuído ao grupo extremista. A ação do governo da França conta com o apoio da maioria dos países europeus e também dos Estados Unidos.  

As forças francesas e do governo do Mali tentarão conter a ação dos grupos radicais islâmicos, que ocupam o Norte do país. Desde a semana passada, a França iniciou uma ofensiva militar contra os extremistas.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa.