A gente está agora em casa, paradão, esperando as coisas voltarem ao normal. E enquanto tudo não se resolve lá fora, a gente pode pelo menos planejar nossos próximos passos. Então se o amigo anda namorando um SUV, vou listar dez modelos, em suas versões que oferecem os melhores diferenciais. Têm preços entre R$ 75 mil e R$ 155 mil, que atendem a diferentes perfis de compradores. Vamos abrir com o estreante Tracker, da GM, que foi líder de vendas em abril, mesmo sendo um período bem atípico, em função da pandemia trazida pelo novo coronavírus.

 

Chevrolet Tracker Premier 1.2 – R$ 116.490

O novo Tracker chegou ao mercado justamente no momento em que foi decretado o isolamento social. Por isso, nem todo mundo pôde conferir de perto o SUV da GM. E a versão a escolher é a Premier 1.2. Esse carro estreia no novo motor 1.2 turbo de 133 cv e 21,9 mkgf de torque, que garantem bom comportamento ao jipinho, que custa R$ 116 mil. 

O grande barato da versão é seu pacote de conteúdos farto, com direito a ar-condicionado digital, multimídia (com Android Auto, Apple Carplay, câmera de ré e conexão 4G), sensores dianteiros e traseiros, sensor de ponto cego, retrovisores elétricos e assistente de manobras (Park Assist). O que chama atenção é que a versão já encareceu quase R$ 5 mil desde o lançamento.

Chery Tiggo 5x TXS 1.5 - R$ 100 mil

Chery Tiggo 5X

O Tiggo 5x é um jipinho interessante e, seguramente, um dos melhores produtos do portfólio da Chery no Brasil. Montado em Anápolis (GO), ele oferece muito conteúdo, motor esperto e é bem mais barato que seus rivais equivalentes. A unidade 1.4 de 150 cv tem respostas rápidas e a caixa de dupla embreagem garante trocas ágeis. No início do ano, o jipinho passou por uma plástica precoce, mas que se justifica pelo fato de seu kit vir da China, onde ele já carecia de atualização.

A cesta de conteúdos é farta: conta com central multimídia de nove polegadas (com Android Auto, Apple Car Play, Bluetooth, controle do ar-condicionado e funções do veículo). A versão topo de linha, TXS, ainda tem câmera 360°, partida sem chave e teto solar panorâmico.

Ford EcoSport Storm 2.0 4WD- R$ 109 mil

Ecosport

O EcoSport foi pioneiro no segmento de SUVs compactos e está há 17 anos na ativa. A atual geração chegou em 2012 e de lá para cá tem perdido prestígio, diante de rivais mais modernos. No entanto, o Eco é uma opção interessante para quem busca um SUV 4x4, que oferece a comodidade de carro familiar, que não existe no Jimny e nem é tão caro como um Renegade 4x4. E é aí que surge a versão Storm, vendida por R$ 109 mil e equipada com motor Duratec 2.0, de 176 cv e 22,5 mkgf de torque, que faz desse SUV o compacto mais potente da praça. 

Honda HR-V LX 1.8 - R$ 95 mil

Honda HR-V

Não há dúvidas de que o  Honda HR-V é um SUV irrepreensível. O jipinho japonês chegou em 2015 e se tornou objeto de desejo do mercado. No entanto, o HR-V se tornou vítima de seu próprio sucesso. Encareceu demais, não evoluiu em conteúdos e viu sua participação despencar. No entanto, ainda é uma excelente opção para quem busca um SUV e privilegia o conforto. A versão de entrada LX custa R$ 95 mil. Trata-se de um valor bem mais caro que as opções iniciais de todos os rivais. Por outro lado, seu conjunto mecânico com motor 1.8 de 140 cv e caixa CVT fazem dele um carro prazeroso de dirigir e com ótima liquidez.

Hyundai Creta Action 1.6 R$ 80 mil

Hyundai Creta

A Hyundai vem brigando nas cabeças no segmento de utilitários com o Creta. No ano passado fechou na terceira posição com 57 mil licenciamentos, 3 mil a menos que o vice-líder Compass e a 11 mil de distância do Renegade. Este ano ela sentiu o impacto da estreia do novo Tracker e agiu rápido com a versão Action 1.6 (de 130 cv) AT6, de R$ 80 mil.

Trata-se da versão automática mais barata para um SUV no mercado brasileiro. Esse Creta segue a filosofia dos sedãs automáticos de entrada. Abre mão de refinamentos como multimídia, sensor de ré e faróis de neblina. No entanto, mantém trio elétrico, ar-condicionado e rádio com MP3 e Bluetooth. 

Jeep Renegade Trailhawk 2.0 4x4- R$ 153 mil

Renegade

O Renegade Trailhawk é o mais caro da lista, mas também é o único que oferece motor turbodiesel 2.0 de 170 cv e impressionantes 35,7 mkgf de torque. É um carro para quem realmente quer se chafurdar na lama, e que conta com seletor de terreno, caixa de nove marchas (que emula reduzida) e assistente de declive. São R$ 153 mil, cerca de R$ 11 mil a mais que a versão Longitude 4x4, mas se o amigo chegou até aqui, melhor levar a topo de linha, pois tem pneus que priorizam o uso no fora de estrada, suspensão com curso mais elevado, que fazem desse jeep a viatura para onde os outros não vão.

Em termos de conteúdo, ele basicamente incorpora tudo que seria opcional do Longitude, mas permite inclusão de bolsas laterais, cortinas e airbag de joelho para o motorista. 

Nissan Kicks SL (Pack Tech) 1.6 - R$ 109 mil

Nissan Kicks

O Nissan Kicks é um dos jipinhos mais acolhedores que você poderá dirigir. Sim, o carro é uma delícia. Bem acertado e com ótima posição de dirigir. O acabamento impressiona, assim como os conteúdos. No entanto, é preciso mirar no topo da prateleira e optar pela versão mais sofisticada que conta com assistentes como alerta de colisão e frenagem emergencial. 

O grande senão do Kicks é seu desempenho modesto. A unidade 1.6 de 114 cv é a mais fraca do segmento. Por outro lado, o SUV japonês tem consumo comedido. Em nossos testes registrou 7,5 km/l com álcool, dentro da cidade. O problema é que o preço da versão topo de linha esbarra em concorrentes bem mais espertos.

Peugeot 2008 1.6 THP - R$ 100 mil

Peugeot 2008

O 2008 é um carro injustiçado, assim como o hatch 208. A má fama que a marca do Leão adquiriu ao longo dos anos é o pior inimigo desse SUV. A versão aspirada de 122 cv já um carro muito legal, mas a topo de linha com motor turbo de 173 cv e caixa automática de seis marchas fazem desse carro um dos melhores utilitários compactos do mercado. 

Renault Duster Zen 1.6 MT - R$ 75 mil

Renault Duster

O Duster é um SUV raiz  por definição. A segunda geração chegou em março, tendo como principal atrativo a manutenção dos preços da linha anterior. Assim, a versão de entrada Zen partia de menos de R$ 72 mil. Hoje ela já esbarra nos R$ 75 mil.

Mas trata-se de uma das opções mais baratas para quem quer ter um SUV, mas falta capital para comprar um jipinho recheado de equipamentos. Rodas de aço, ausência de faróis de neblina e refinamentos como câmeras e ar-condicionado digital é o preço que se paga pela nota fiscal mais barata. Ainda assim, há direção elétrica, ar-condicionado, controle de estabilidade, rádio com MP3 e Bluetooth e vidros elétricos em todas as portas.

VW T-Cross Highline 1.4 - R$ 119 mil

VW T-Cross

O T-Cross Highline assusta pelo preço, principalmente quando se adicionava todos seus opcionais, como teto solar panorâmico, que eleva o valor para quase R$ 130 mil, mas trata-se de um pacote inigualável. 

O grande barato do SUV é seu motor 1.4 turbo de 150 cv e 25 mkfg de torque. A unidade sobra nesse jipinho que acelera forte e conta com transmissão automática de seis marchas. O T-Cross peca pelo acabamento simples, inferior ao Renegade, HR-V e Kicks.