Se um dia alguém lhe contasse que já dirigiu um Fusca com motor V6 e que acelerava perto dos 250 km/h, cuidado: ele pode estar dizendo a verdade. Isso mesmo, em 2000 a Volkswagen apresentou o Beetle RSi, uma versão anabolizada do New Beetle, que resgatou o icônico VW em 1998.

Com o sucesso do New Beetle, a Volkswagen viu que poderia usar o carrinho para ganhar visibilidade. A ideia era oferecer uma versão anabolizada do novo Fusca, para mostrar que o carrinho também poderia oferecer alta performance. 

Cada unidade custava US$ 80 mil, um valor absurdo para um New Beetle que partia de US$ 15 mil na versão de entrada

O time de desenvolvimento alargou os pára-lamas, caixas de rodas, aplicou um aerofólio num estilo Whale Tail do Porsche 911, mas com visual mais moderno, para-choques alargados e ponteiras duplas de escapamento. Por dentro, ele contava com bancos Recaro, tipo concha, assim como apliques em alumínio nos puxadores, pedaleira, pomo do câmbio, que deixavam o seu visual extremamente nervoso.

O RSi era uma versão anabolizada que tomava de empréstimo o motor VR6 (V6 3.2) do Golf R32. Tratava-se de uma unidade aspirada que entregava 225 cv e 32 mkgf de torque. Ele tinha mais de cinco vezes a potência de um Fusca com motor 1300. Números que faziam esse Fuscão acelerar a até 247 km/h.

A transmissão era manual de seis marchas e o sistema de tração era integral 4Motion. O RSi também passou por ajustes de suspensão para oferecer o máximo de performance. Ele utilizava rodas OZ de 18 polegadas e pneus 235/40 R18.

Ao todo, a VW fabricou 250 unidades do Beetle RSi, que foram produzidas entre 2001 e 2003. Caríssimo, o preço de cada unidade era de US$ 80 mil, um valor absurdo para um New Beetle que partia de US$ 15 mil na versão de entrada.

Ele era tão caro que, naquela época, o Porsche 911 Carrera 4 custava US$ 100 mil. Mas o que é um Porsche para falar com um Fufu? Ainda mais atômico! É ou não é?