Desde que a General Motors revelou a atual geração do Corvette (C7) em 2014, a expectativa era sobre quando a marca iria lançar a versão ZR1, notadamente conhecida por ser a mais voraz da linha do lendário esportivo norte-americano –só agora anunciado. E valeu à pena esperar! A versão anabolizada do Vette chega com nada menos que 765 cv, o que faz dele a versão de fábrica mais potente da história. 

O ZR1 surge num momento em que os esportivos norte-americanos vivem um drama existencial. Com o fim da linha do Dodge Viper, sobraram apenas o Vette e o Ford GT para brigar de frente com os supercarros europeus. No entanto, o Ford abriu mão da filosofia máxima da indústria de Detroit – “Nada substitui as polegadas cúbicas” – para apostar num motor compacto (V6 biturbo 3.5) em nome da performance e também na eficiência nas pistas. 

Daí o ZR1 se apresenta como o supercarro americano de raiz. Sob o capô ele utiliza o mesmo V8 LT4 6.2 do Z06 (que já era uma versão de alto desempenho do Corvette), mas com novo compressor mecânico que fez com que a potência saltasse de 650 cv para 765 cv e torque de 98,5 mkgf. 

Para chegar a esses números, a GM modificou o sistema de injeção direta, que passa a contar com dois injetores para cada cilindro. A transmissão é manual de sete marchas, mas a marca resolveu oferecer também uma opção automática de oito velocidades, para “os menos iniciados”.

Com todo esse torque despejado nas rodas traseiras que podem ser calçadas com Michelin Pilot Sport Cup 2, caso o comprador opte pelo pacote ZKT Performance. Uma grande asa traseira, extratores e apêndices aerodinâmicos completam o modelo que atinge máxima de 338 km/h, segundo a GM.