IRACEMÁPOLIS (SP) – O seriado “Os Simpsons” já previu de tudo, da eleição de Donald Trump à contusão de Neymar, na Copa de 2014. Mas em março de 1999, Homer viveu a experiência de ser caminhoneiro, no episódio “Maximun Homerdrive”. Na história ele descobre que a carreta do finado Red Barkley tinha condução autônoma. E depois de 20 anos, a Mercedes-Benz anuncia seu primeiro caminhão dotado de tecnologias que o deixam a um passo do caminhão do bonachão amarelo.

A fabricante revelou a nova geração do Actros, modelo extrapesado que chega com tecnologias de assistência à condução como o ABA 5, capaz de detectar pedestres e automóveis e frear automaticamente o caminhão. Ele conta ainda com sensor de ponto cego e controle de estabilidade (ESP). O veículo faz parte dos investimentos da marca na ordem de R$ 1,4 bilhão até 2022.


Inteligente
De acordo com o presidente da Mercedes-Benz, no Brasil, Phillip Scheimer, o novo Actros é o caminhão mais inteligente do mercado. “Estamos muito próximos do caminhão autônomo. Ele traz uma série de equipamentos que atendem às necessidades de nossos clientes”, afirma o executivo.

O caminhão ainda é dotado de sistema de monitoramento remoto, que é capaz de diagnosticar diversos módulos que indicam as condições de funcionamento do veículo. “Conseguimos antecipar possíveis falhas e orientar o cliente a fazer a manutenção de forma preventiva, antes que surja um defeito”, garante.

Topografia

Outro recurso é o sistema de monitoramento de rotas. O Actros tem mapeado em seu banco de dados uma grande quantidade de rotas que, além da navegação GPS, ainda informa dados sobre topografia, que é vital para quem reboca volume elevado de cargas. Ele também oferece controle adaptativo de cruzeiro, em que o caminhão assume aceleração e frenagem. “Em nossos testes, nosso chefe de engenharia fez um trajeto de 1,6 mil quilômetros, sem precisar encostar nos pedais, apenas controlando a direção”, afirma o vice-presidente de marketing e vendas de caminhões, Roberto Leoncini.

Por dentro, o gigante passou por uma banho de loja e adota refinamentos dos automóveis da Estrela de Três Pontas, como quadro de instrumentos digital, um grande monitor auxiliar para funções de navegação e multimídia, volante multifuncional, partida sem chave, freio de estacionamento eletrônico, inclusive para o implemento, sensores de ponto cego, monitor de fadiga, dentre outros.

O caminhão ainda recebeu novos bancos e até mesmo a cama foi aperfeiçoada, com 2,2 metros de comprimento e 75 cm de largura. O único opcional é o airbag. Segundo a Mercedes, a bolsa de ar não é obrigatória para caminhões, e dessa maneira, a marca priorizou sistemas preventivos de segurança, ao invés de instalar um item que visa minimizar os efeitos de uma colisão.

Motor
O caminhão é equipado com motor OM460, seis cilindros de 13 litros, e teve seu peso reduzido em 400 quilos. Ele é oferecido em quatro versões: 4x2, de 450 cv; 6x2, de 480 cv; 6x4, de 480 cv; e 6x4 de 510 cv.

Na versão 6x4, com suspensão pneumática, o Actros permite suspender o terceiro eixo quando descarregado. Dessa forma, a Mercedes afirma que há economia de combustível, menor desgaste de pneus e reduz custo com pedágio, uma vez que o eixo estará suspenso. “Ele se torna um 6x2, e reduz o custo operacional, no retorno, após a carga ter sido descarregada”, explica um dos engenheiros da marca.

Segundo a fabricante, a nova geração é mais eficiente e também tem menor custo de manutenção. “Conseguimos reduzir seu consumo em 12%. Além disso, ele tem menor custo operacional que pode gerar uma economia de R$ 30 mil num período de cinco anos de operação.
Por essa, nem Homer Simpson esperava!