A indústria automotiva tem um cronograma muito bem definido de renovação de produtos, de maneira privilegiar categorias de maneiras distintas de tempos em tempos. Sedãs, hatches, utilitários-esportivos (SUV) e minivans volta e meia surgem com novidades em manadas, como se os fabricantes combinassem as atualizações nos segmentos. Mas não é bem assim, as marcas se monitoram e sabem que se não inovarem e acompanharem a tendência perdem participação nas categorias que atuam. E no segmento de picapes não é diferente.

O ano de 2016 tem mostrado isso, não apenas com o lançamento da Fiat Toro e a reformulação total da Toyota Hilux (que aconteceu no final do ano passado, mas só agora começou a colher frutos), mas com reestilizações de Ford Ranger, e nos próximos dias a Chevrolet S10, e as previsões de estreia das novas Mitsubishi L200 Trioton e Nissan Frontier.

E com tantos movimentos, surgem é natural que surjam boas opções de compras no segmento, que ao contrário do restante do mercado tem mantido o mesmo volume vendas de 2015, que fechou ano com 120 mil emplacamentos e nos primeiro três meses de 2016, já acumula quase 30 mil vendas. Por outro lado, o varejo em um todo acumula retração de 28% no primeiro trimestre, comparado ao mesmo período do ano anterior.

Selecionamos os oito principais modelos do mercado para mostrar o que cada uma tem para oferecer, seus pontos negativos, positivos, quanto custam e qual é melhor opção para a sua necessidade.

CHEVROLET S10 (de R$ 72.350 a R$ 160.390)

Depois de perder a liderança este ano, a S10 que ganhou nova geração em 2012 apresentará seu primeiro facelift nos próximos dias. A atual geração e uma das poucas que oferece cabine simples. Ao todo são 11 versões e três opções de motores (2.4, 2.5 e 2.8 diesel). 

Chevrolet S10

Pontos positivos: Seu motor turbodiesel 2.8 de 200 cv e 51 mkgf faz dela um verdadeiro caminhão quando o assunto é carga. Já a versão Ecotec 2.5 de 206 cv se destaca pelo desempenho na estrada e consumo inferior ao 2.4 de 147 cv.

Pontos negativos: Em breve o modelo irá passar por uma reformulação visual, basicamente na parte frontal. Para quem se importa com atualização é melhor esperar. Já quem busca preço, é possível conseguir bons descontos no modelo atual. 

FIAT TORO (DE R$ 77.800 A R$ 133.110)

A Fiat Toro chegou no mercado há pouco mais de um mês para ampliar o segmento intermediário entre as picapes médias e leves. Bem equipada, oferece visual arrojado e se desloca melhor que as convencionais dentro da cidade.

Fiat Toro

 Pontos Positivos: Construída com estrutura monobloco, herdada do Jeep Renegade, a Toro oferece conforto de automóvel. Destaque para o excelente acerto de suspensão.

Pontos Negativos: O Calcanhar de Aquiles da picape italiana é seu conjunto motor. A versão 1.8 Flex tem força apenas para 650 quilos de carga, já a opção turbodiesel 2.0 e cambio manual, peca pela falta torque em baixa rotação, exigindo muito do motor no arranque. A melhor opção é a topo de linha Volcano, com transmissão automática.

FORD RANGER (DE R$ 99.500 A R$ 181.200 mil)

A Ranger acabou de passar pelo bisturi, que além do focinho novo também trouxe gratas novidades ao utilitário. Bonita, picape norte-americana permite fartura na inclusão de opções, como o sistema Sync e sistema de frenagem automática.

New Ranger Ford

Pontos Positivos: Um dos principais ganhos da Ranger está no incremento na seara da segurança. A picape, conta com sete bolsas, inclusive para o joelho, assim como controles de tração e estabilidade (ESP). O modelo conta com três motores, 2.5 flex, 2.2 e 3.2 turbo diesel, além de sete versões. Fique atento aos descontos no modelo anterior.

Ponto Negativo: Apesar de ser um utilitário extremamente qualificado a Ranger peca por não oferecer mais a opção com cabine simples.

MITSUBISHI L200 (DE R$ 91.990 A R$ 146.990)

A L200, junto com a Toyota Hilux é uma das pioneiras no segmento de médias no Brasil, e chegou ao mercado na época da abertura do mercado em 1991. A atual geração já saiu de linha no mercado asiático, mas continuará em produção por aqui e conviverá com a nova geração que será importada da Tailândia.

Mitsubishi L200 Triton

Pontos Positivos: Com um leque de nove versões que combinam acabamento e conjunto mecânico, com opções de motores 2.4 e V6 3.5 flex e 3.2 turbo diesel, é um dos modelos com mais opções do mercado. 

Ponto Negativo: A caçamba elevada tende a desgarrar nas curvas, quando ela está descarregada. Além disso é fundamental a instalação de sensor o câmera de ré.

NISSAN FRONTIER (DE R$ 118.390 A R$ 153.900)

Assim como a L200 Triton, a atual geração da Frontier já tem substituta no exterior. Mas por aqui só deverá chegar por volta de 2018, quando a nova fábrica da Nissan, na Argentina, ficar pronta.

Com apenas três versões de acabamento, ela oferece um único motor turbodiesel 2.5 de 190 cv, tração 4x4 e opções de caixa manual ou automática.

Nissan Frontier

Pontos Positivos: A Frontier é uma picape extremamente robusta, mas que oferece ergonomia de carro de passeio. 

Ponto Negativo: O que pesa contra a Frontier é que ela tem o maior preço inicial entre suas concorrentes, o que limita muito o perfil de consumidor e impacta no volume. No ano passado só foram vendidas 5 mil unidades.

RENAULT DUSTER OROCH (DE R$ 63.990 A R$ 75.590)

Eis o caminho mais barato para se aventurar numa picape acima das leves. A Oroch foi pioneira no segmento intermediário e é destinada para quem precisa de um veículo urbano com compartimento para carga. Oferecida com motores 1.6 e 2.0 flex, apenas com câmbio manual e tração dianteira.

Renault Duster Oroch

Pontos Positivos: A Oroch é um híbrido entre picape e utilitário-esportivo (SUV) compacto. O conforto de quem viaja na fileira de trás é garantido pelo maior inclinação do encosto, ao contrário das picapes carroceria montada sobre chassi.

Ponto Negativo: Além do acabamento pobre, seu conjunto mecânico não lhe permite aplicações severas no fora de estrada e a caçamba não comporta cargas volumosas.

TOYOTA HILUX (DE R$ 104.750 A R$ 188.120)

A atual líder de mercado desbancou a S10 graças à dobradinha entre a nova geração que passou a ser oferecida junto com veterana de nove anos de labuta. Por aqui, a Hilux sempre gozou de boa fama, devido à robustez de seu conjunto mecânico. A nova geração é oferecida apenas com motor diesel 2.8 de 177 cv e a antiga com motor flex. 

Toyota Hilux

Pontos Positivos: O grande segredo da Hilux é seu custo operacional, a picape tem fama manutenção barata, consumo comedido e bom valor de revenda. A nova geração oferece controles de estabilidade (ESP) e tração.

Pontos Negativos: A principal reclamação da nova geração é suspensão pouco instável em pisos irregulares, que demanda atenção do motorista.

VOLKSWAGEN AMAROK (DE R$ 98.400 A R$ 177 mil)

Lançada em 2010, a Amarok fez acender a luz amarela no segmento. Moderna e com um compacto motor diesel biturbo 2.0 de 180 cv, o utilitário alemão anda e oferece conforto como se fosse um de passeio.

Volkswagen Amarok

Pontos positivos: A qualidade do acabamento é superior à de todos seus concorrentes, assim como pacote de equipamentos. Destaque para a caixa de oito marchas automática extremamente silenciosa.

Pontos negativos: A Amarok tem sido protagonista de episódios constrangedores, como a fraude no testes de emissões e também pelo falha de projeto, já corrigida, que permitia entrada de poeira na polia da correia dentada, levando ao seu rompimento.