A Toyota se firmou como um dos maiores fabricantes de automóveis do mundo. Nos últimos anos, adotou uma estratégia com base em automóveis de grande volume, com distribuição global, como Corolla, Hilux e Yaris. Mas a fabricante japonesa tem um passado recente de esportividade exacerbada. Nos anos 1970, para conseguir penetração nos mercado europeus e americano, apostou em compactos esportivos como o Celica.

Posteriomente, veio o Celica Supra, que se tornou apenas Supra, o Levin e o MR-2. Em meados dos anos 2000 a Toyota abandonou seus esportivos, que só voltaram na virada da década com o GT86. No ano passado, renasceu o Supra (com mecânica BMW), num momento em que a marca ganhava projeção no automobilismo, mais precisamente nos mundiais de rali (WRC) e endurance (WEC). Com tanta esportividade pulsando novamente, ela apresentou o GR Yaris, versão nervosa do miudinho.

Não é para nós!

Para início de conversa, o Yaris europeu é bem diferente do nosso. Aqui se vende a versão tailandesa do compacto. Na Europa, ele tem design próprio e muito mais tecnologia.

A versão GR, que faz alusão ao time Gazoo Racing, é uma espécie de homenagem à história da marca nas provas de rali. No ano passado a Toyota conquistou seu quinto título, com o piloto estoniano Ott Tänak. Seu auge foi nos anos 1990 com o Celica GT-Four, que levou quatro mundiais, sendo dois com o espanhol Carlos Sainz. 

E o GR Yaris carrega muito do carro de rali. Ele conta com tração integral, batizada de GR-Four (em alusão ao Celica) e moderno motor três cilindros turbo 1.6 de 258 cv e 36 mkgf, que faz do carrinho um verdadeiro foguete. E como manda todo esportivo que se preze, o carrinho é equipado com uma transmissão manual de seis marchas. O sistema de tração permite distribuição de até 100% do torque num só eixo.

Mais números? Ele acelera de 0 a 100 km/h em 4,9 segundos e atinge a velocidade máxima de 230 km/h. A suspensão foi revista e conta com ajuste mais firme. Os freios utilizam discos de 35,6 cm com pinça de quatro pistões, na frente, e 29,7 cm com pinça de dois pistões, na traseira. As rodas são aro 18, calçadas por pneus Dunlop SP Sport MAXX050 ou Michelin Pilot Sport 4s, com medidas 225/40 R 18.

Por dentro, destaca-se pelo acabamento em tom preto, volante em couro, bancos em alcântara, sistema multimídia e ar-condicionado digital. 

O único número que ainda é mistério é o preço, que ainda será anunciado. Na Europa especulam que ele irá custar algo em torno de US$ 50 mil (R$ 207 mil).

Assista também!