LOS ANGELES- O veterano ator irlandês Peter O'Toole, 79 anos, intérprete de "Lawrence da Arábia" (1962), anunciou na terça-feira (10) que está aposentado do teatro e cinema, informa a imprensa americana. "É o momento de jogar a toalha. De me afastar dos palcos e do cinema. Já não tenho o coração para fazer isto e nunca voltarei a ter", afirma a lenda da sétima arte em um comunicado citado pela revista People.

"Minha vida profissional de ator, nas telas e nos palcos, me trouxe o apoio do público, satisfação emocional e conforto material", destacou. "Me levou a entrar em contato com pessoas maravilhosas, com bons companheiros com os quais compartilhei o que inevitavelmente acontece com todos os atores: os fracassos e os sucessos". "No entanto, acredito que cada um deve decidir por si mesmo quando é o momento de parar. É por isto que me despeço da profissão com os olhos secos e uma profunda gratidão", completou o artista, que completará 80 anos em agosto. Os agentes do ator em Londres e Nova York não confirmaram a informação.


Filho de um corretor de apostas irlandês, Peter O'Toole, famoso pelos olhos azuis, passou a juventude no norte da Inglaterra. Trabalhou como jornalista, para a rádio da Marinha Real, antes de virar ator. Estudou na Academia Real de Arte Dramática, onde ficou amigo de Albert Finney, Alan Bates e Richard Harris, outras grandes estrelas do cinema.

Tinha 17 anos quando subiu em um palco londrino pela primeira vez para interpretar dramas de Shakespeare. Estreou no cinema sob a direção de David Lean em "Lawrence da Arábia".  Peter O'Toole recebeu oito indicações ao Oscar durante a carreira, que inclui filmes como "Calígula" (1979) e "O Último Imperador" (1987). Mas só recebeu uma estatueta em 2003 de formar honorária.

Nos últimos anos foi aclamado por sua interpretação no teatro e televisão de "Jeffrey Bernard is Unwell," sobre a vida de um jornalista alcoólatra.