O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, e mais de 30 líderes de organizações privadas, de bancos de desenvolvimento internacionais, diplomatas, gestores públicos brasileiros e estrangeiros estão reunidos, nesta quinta-feira (7), para discutir Inovação e Sustentabilidade como Aliança para o Desenvolvimento.

O encontro promovido pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) faz parte das reuniões preparatórias no país para a 11ª Cúpula do BRICS – grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, marcada para os dias 13 e 14 de novembro, em Brasília.

A ideia do pré-BRICS Summit é fortalecer o relacionamento entre instituições de desenvolvimento nacionais e internacionais para o intercâmbio de experiências e cooperação técnica. De acordo com o presidente do BDMG, Sergio Gusmão, Minas possui instituições sólidas com tradição de atuação voltada para a geração de oportunidades e o crescimento regional sustentável. “A iniciativa desta reunião preparatória visa aproveitar esta janela de oportunidade para fomentar o ecossistema mineiro e alavancar potenciais investimentos para o Estado”, explica.

Debates

A mesa de abertura teve as presenças do governador de Minas Gerais, Romeu Zema; do presidente do BDMG, Sergio Gusmão; do presidente da Fiemg, Flávio Roscoe; do presidente da Fundação Dom Cabral, Antonio Batista.

Em seguida, foram realizados cinco painéis para tratar como a geopolítica global cria oportunidades e desafios para a atuação do BRICS em escala global, assim como os fatores que influenciam as respectivas agendas domésticas. 

Sobre o BRICS

A coordenação entre Brasil, Rússia, Índia e China iniciou-se de maneira informal em 2006, com reunião de trabalho entre os chanceleres dos quatro países à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas. O então BRIC passou a constituir mecanismo de cooperação em áreas que tenham o potencial de gerar resultados concretos aos brasileiros e aos povos dos demais membros.

Desde 2009, os chefes de Estado e de governo do agrupamento se encontram anualmente. Em 2011, a África do Sul passou a fazer parte do agrupamento, acrescentando o “S” ao acrônimo, agora BRICS. Sob a presidência rotativa do Brasil, a 11ª Cúpula será realizada em Brasília com o lema “BRICS: crescimento econômico para um futuro inovador”.

* Fonte: BDMG

Leia mais:
Governo de Minas investe R$ 1,5 milhão na digitalização do licenciamento ambiental
De volta aos cofres: Estado recuperou R$ 1,4 bilhão este ano em operações contra sonegação fiscal