Jogos de poder e erotismo são postos à mesa de um elegante jantar em O Banquete, drama nacional de Daniela Thomas, mesma diretora de produções como Linha de Passe e Vazante.

Situado na década de 1990, o filme abre com a cena de uma planta carnívora capturando um pequeno inseto. A representação de perigo e armadilha é a mesma prestes a dominar cada um dos convidados - entre eles, um advogado (Caco Ciocler), uma atriz (Mariana Lima) e um poderoso editor de revista, Mauro (Rodrigo Bolzan), que celebra seu aniversário de casamento.

Da entrada à sobremesa, a tensão faz parte do cenário, já que Mauro pode ser preso, na mesma noite, por ter escrito uma carta aberta com graves denúncias contra o presidente.

Diálogos carregados de ironias e insinuações, muitas delas agressivas e obscenas, acompanham toda a trama.

Entre taças de um caríssimo vinho italiano e um luxuoso menu servido por Ted (Chay Suede), os personagens são tomados por suas próprias inseguranças e dão espaço para a sedução e uma série de provocações, quase sempre lideradas pelas falas atrevidas da anfitriã Nora (Drica Moraes).

Nomes como Bruna Linzmeyer, Fabiana Gugli e Georgette Fadel completam o elenco, com performances que dão vida ao ambiente cada vez mais desconexo e inebriante - transformado em um verdadeiro palco para temas como política, liberdade de imprensa e as relações conflituosas e desiguais entre homens e mulheres.