O governo do Japão encerrou neste sábado (5) uma ordem de evacuação com duração de quatro anos e meio na cidade de Naraha, no nordeste do país, que havia sido imposta após o desastres na usina nuclear de Fukushima. Naraha é a primeira cidade a ter a ordem de evacuação encerrada, entre os sete municípios evacuados por conta da contaminação por radiação, após o terremoto e um tsunami causaram o colapso dos reatores da usina nuclear de Fukushima, em março de 2011.

O governo central afirmou que os níveis de radiação em Naraha caíram a níveis considerados seguros, após os esforços de descontaminação na área. Segundo uma pesquisa realizada pelo governo japonês, no entanto, 53% dos antigos residentes do município, a 20 quilômetros ao sul da usina nuclear de Fukushima, disseram que ainda não estão prontos para voltar permanentemente ou ainda não tomaram uma decisão.

Naraha passou por um teste, já que muitos residentes ainda estão cautelosos, preocupados com os riscos à saúde e com a falta de infraestrutura. Na cidade, um segmento da rede ferroviária nacional ainda está fora de serviço e os trilhos permanecem cobertos por grama. Aproximadamente 100 pessoas, dos quase 2.600 antigos residentes, retornaram a suas casas desde o início do período de teste, em abril. No ano passado, o governo retirou em parte a ordem de evacuação em áreas de duas cidades próximas, mas apenas metade dos residentes voltou.

O prefeito de Naraha, Yukiei Matsumoto, afirmou que o dia de hoje é um marco importante. "Nosso relógio começou a funcionar novamente", disse ele, durante uma cerimônia. "A retirada da ordem de evacuação é um passo importante, mas é apenas um começo."

Matsumoto disse esperar que o município se torne um bom exemplo de recuperação de uma cidade para os demais municípios. Cerca de 100 mil pessoas que moravam nos arredores de Fukushima ainda não podem voltar para suas casas.

Para o prefeito, ainda há temores com relação à radiação e à segurança e que a cidade ainda precisa percorrer um longo caminho até se recuperar. O município deve continuar sem uma clínica médica até outubro e um novo hospital irá ficar pronto apenas em fevereiro.

Um mercado local iniciou um serviço grátis de entrega em julho e um shopping irá reabrir no ano que vem. No entanto, muitos moradores, especialmente os que não dirigem, enfrentam opções limitadas para suas necessidades diárias.

Os moradores receberam dosímetros pessoais para checar os níveis de radiação. Para reduzir as preocupações, a cidade também está monitorando a estação de água 24 horas por dia, realizando testes para detectar a presença de materiais radioativos. Fonte: Associated Press.