Nesta quinta-feira (16), os principais jornais e portais de notícias internacionais deram destaque para a posse do ex-presidente Lula para a Casa Civil.

Também foi noticiado por estes veículos o pedido de suspensão da nomeação pelo juiz mineiro Itagiba Catta Preta Neto, da Justiça Federal do Distrito Federal.

As versões onlines do Clarín e do El País, deram a notícia como assunto principal. No primeiro, a manchete diz: "Lula assume e 40 minutos após um juiz parou a nomeação". O segundo, tem como destaque: "Um juiz ordenou cancelar a nomeação como ministro de Lula no Brasil". O The Guardian chegou a compartilhar vídeos de confrotnos nos protestos pelo Brasil em seu portal.

Confira a cobertura de alguns periódicos internacionais:

Além de comentar as manifestações contrárias à nomeação de Lula para a Casa Civil, a reportagem do Clarín explica que ainda cabe ao governo recorrer do pedido de suspensão da posse do ex-presidente. A publicação fala também sobre a desconfiança da população após terem sido divulgados áudios de conversas entre o político e a presidente Dilma Rousseff que mostrariam obstrução do processo. O Clarín falou também sobre a retomada do rito de impeachment da chefe de Estado do Brasil pela Câmara dos Deputados.

Já o El País a medida do juiz federal Itagiba Catta Preta Neto se deu por temor de que a nomeação de Lula impeça as investigações criminais que o envolvem e que esta é também uma preocupação popular. O periódico salientou que a posse do ex-presidente foi marcada por polêmicas envolvendo a oposição e os movimentos sociais contra o governo. A publicação, em espanhol, salienta as recentes manifestações contra o PT, e que a crise política na qual o Brasil se encontra tem reforçado a polarização.

O Le Monde, por sua vez, faz um retrospecto de todo o processo de indicação e nomeação de Lula para a Casa Civil e mostra a opinião de um professor de Direito na Universidade de São Paulo (USP), que atenta para o fato de que esta suspensão pode fracassar. Além disso, o portal online do periódico situa o leitor sobre a situação do processo de investigação de Lula, sobre os áudios recém divulgados, e refere-se a ele como ''protegido'' de Dilma Rousseff, lembrada por sua impopularidade.