O jornalista Glenn Greenwald, responsável pela sequência de reportagens do The Intercept Brasil sobre as conversas privadas entre Sergio Moro e integrantes do Ministério Público, será homenageado pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O requerimento foi feito pelos deputados André Quintão e Beatriz Cerqueira, ambos do PT, e aceita pela comissão nesta terça-feira (16).

A intenção é que seja formulado um voto de congratulações para Glenn Greenwald, pela sua carreira no jornalismo investigativo e sua defesa da liberdade de expressão e de opinião.

Desde o dia 9 de junho, o The Intercept Brasil vem publicando uma série de reportagens baseadas em supostas mensagens trocadas entre o então juiz Sergio Moro, hoje ministro da Justiça, e os responsáveis pela operação Lava Jato. Outros veículos de comunicação passaram a ter acesso ao material, como Folha de S. Paulo, El País e Veja.

Glenn Greenwald também foi o primeiro jornalista a divulgar, em 2013, em seu blog, os arquivos que o ex-consultor da Agência Nacional de Inteligência dos Estados Unidos Edward Snowden havia vazado para revelar um esquema de monitoramento de telecomunicações conduzido, em segredo, pelas autoridades norte-americanas.

Leia mais:
Conselho do MP recebe pedido para investigar troca de mensagens
'Lava Jato': força-tarefa cita 'viés tendencioso' em site e reafirma imparcialidade