Um jovem homossexual de 19 anos denunciou à Polícia Militar ter sido ameaçado de morte por um suposto eleitor do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), no último sábado (20).

O jovem, cujo nome será preservado por segurança, contou ao Hoje em Dia que conheceu o homem pelo aplicativo Grindr, usado para promover o encontro de homens gays. Segundo ele, as conversas se estenderam por quatro dias e os encontros foram sendo adiados por falta de um local. Porém, no sábado, o homem mandou uma mensagem marcando o encontro para a tarde daquele dia em um lugar próximo à casa da vítima. 

O rapaz, então, ao entrar no carro do suspeito, se deparou com uma arma apontada pra ele enquanto o homem dizia "você tem cinco segundos para correr ou eu vou atirar".

O jovem correu em direção a um supermercado nas redondezas e, ao chegar lá, viu que o suspeito havia mandado mensagens com ameaças, entre elas "Surpresa!", "Bolsonaro 17", "fica quieto que eu quero te acertar, vai ser um viado a menos". 

Com medo, o rapaz ligou para o pai para que ele fosse buscá-lo no supermercado. Ao chegar em casa para tentar recuperar as conversas e tirar prints para levar à polícia, ele percebeu que o homem o havia bloqueado no aplicativo, o que tira as conversas do histórico e as mantém somente nos servidores do app.

De acordo com o jovem, que registrou o boletim de ocorrências nesta quarta-feira (24), ele já denunciou o usuário e solicitou ao aplicativo que recupere as conversas, o que só acontece após a abertura do inquérito. Devido ao horário, a Polícia Civil ainda não se pronunciou sobre o caso ou se será aberta uma investigação.

Veja a denúncia:​

facebook

Denúncia feita pelo jovem pelo facebook


Leia mais:​
UFMG investiga pichações de suásticas na Escola de Veterinária, no campus Pampulha