A juíza Renata Gil de Alcântara Videira, da 40.ª Vara Criminal do Rio, concedeu liberdade provisória ao empresário Ivo Nascimento de Campos Pitanguy, de 59 anos, filho do cirurgião plástico Ivo Pitanguy, mediante pagamento de fiança de R$ 100 mil.

A Justiça aceitou a denúncia de homicídio culposo (sem intenção), feita pelo Ministério Público, contra o empresário. Até as 7h30 desta quarta-feira, 26, Pitanguy continuava detido.

Ele é acusado de ter atropelado e matado o operário José Fernando Ferreira da Silva, de 44 anos, na quinta-feira, 20, ao supostamente dirigir embriagado. O empresário havia sido indiciado pela delegada Monique Vidal, da 14ª DP (Leblon), por homicídio doloso (intencional).

Em casos de acidente de trânsito, é habitual que o causador seja denunciado por crime culposo, mas a delegada considerou que, ao dirigir embriagado, como afirmam testemunhas do acidente e policiais que atenderam a ocorrência, Pitanguy assumiu o risco de matar alguém e portanto deveria ser denunciado por crime doloso.

O Ministério Público não aceitou a tese da delegada. Além da prisão, que pode variar de seis meses a três anos, Pitanguy está sujeito a multa e suspensão ou proibição de obter a permissão ou a habilitação para dirigir.

O empresário está preso no complexo penitenciário de Gericinó, na zona oeste do Rio, desde domingo, quando deixou o Hospital Municipal Miguel Couto, onde se recuperou de ferimentos causados pelo acidente.

O filho do cirurgião plástico acumulava 70 multas de trânsito nos últimos cinco anos (14 delas por dirigir embriagado).