Ficou para segunda-feira (3) a decisão do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) sobre o futuro do governador e candidato à reeleição, Fernando Pimentel (PT). 

Ele é acusado de ter extrapolado em R$ 10 milhões os gastos da campanha de 2014 e, se condenado, pode ter o mandato cassado e a candidatura impugnada.

Até o momento, os magistrados que votaram a favor de Pimentel são maioria, com três votos contra dois. O juiz Nicolau Lupianhes pediu vistas.

Julgaram improcedente a denúncia, favorecendo o governador, o desembargador Rogério Medeiros, que é relator da ação, o juiz Antônio Fonte Boa e o juiz Ricardo Matos.

Consideraram que as acusações procedem os juízes Paulo Abrantes e João Batista Ribeiro. 

No início deste ano, o PSDB  moveu ação idêntica. Porém, o TRE-MG absolveu por unanimidade o governador, por seis votos a zero. 

Leia mais:
TRE julga Pimentel nesta quinta por suposto excesso de R$ 10 milhões em gastos de campanha