Transferido no último dia 7 para o regime semiaberto no Complexo Penitenciário Público-Privado (CPPP), em Ribeirão das Neves, na Grande BH, o ex-publicitário Marcos Valério recebeu, nessa quarta-feira (25), autorização judicial para trabalhar no período em que está fora da prisão. Não há previsão para o início da jornada. 

Valério foi condenado a 37 anos de prisão no processo do Mensalão e responde pelos crimes de peculato, corrupção ativa e lavagem de dinheiro. Por ter sido autorizado a cumprir a pena em semiaberto, após concessão no início do mês pelo ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), Valério passou a ter direito ao trabalho.

Nessa quarta, a juíza Miriam Vaz Chagas, da Vara de Execuções Penais de Ribeirão das Neves deu a autorização para que o ex-publicitário inicie a jornada. "Agora, estamos aguardando a indicação da empresa conveniada ao sistema prisional para que ele inicie a tarefa", afirmou Marcelo Leonardo, advogado de Valério. 

Ainda não se sabe qual será a atividade exercida pelo ex-publicitário e nem há previsão de início. Valério trabalhará durante o dia e retornará à prisão à noite. Segundo Leonardo, a cada três dias trabalhados, ele terá um dia reduzido de sua pena. 

Até o feriado de Independência deste ano, Valério havia cumprido 6 anos e seis meses no Complexo Penitenciário Nelson Hungria (CPNH), em Contagem, na Grande BH. No dia 7, o ex-publicitário foi transferido para o semiaberto após concessão dada pelo ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF).

A decisão que determinou a transferência imediata de Valério para o semiaberto foi proferida no último dia 6 pelo juiz Wagner Cavalieri, da Vara de Execuções Criminais de Contagem.

Leia mais:
Justiça mineira determina transferência de Marcos Valério para o regime semiaberto