O prefeito Alexandre Kalil (PSD) sinalizou, nesta segunda-feira (12), que o Carnaval e o Arraial de Belo Horizonte poderão ser realizados em datas próximas, em meados de 2021, dependendo de uma possível vacinação da população contra o novo coronavírus.

“O Carnaval eu acredito que vai ser uma mudança nacional (de datas). O Carnaval, obviamente, ele tem uma cara de vacina”, afirmou o prefeito, que disputa a reeleição, durante coletiva em seu comitê de campanha. “A quadrilha é mais fácil, dentro de todos protocolos (de prevenção contra a Covid-19). Mas Belo Horizonte não vai perder o que construímos com tanta luta nesses quatro anos. Queremos fazer um Carnaval maior do que fizemos e uma quadrilha inesquecível”.

Kalil disse ainda que as datas dos eventos serão negociadas com líderes de blocos e eventos de Carnaval e com a União Junina Mineira, entidade com a qual se reuniu neste feriado. Isso para que um evento não atrapalhe o outro. 

“Sem conversar com o pessoal do Carnaval e com o pessoal da quadrilha, nós vamos fazer besteira. Nós vamos fazer o que nós sempre fizemos: chamar o pessoal da quadrilha, chamar o pessoal do Carnaval, e perguntar o que eles acham. Eu não tenho nem ideia se seria super legal emendar uma festa na outra ou seria um desastre para um dos dois”, afirmou.

Expectativa nacional

De acordo com Márcio Eustáquio, presidente da Liga das Escolas de Samba de Minas Gerais (LIEMG), a expectativa de todos que trabalham com Carnaval no país é que a festa seja realizada em meados de 2021. "É uma posição nacional, vamos fazer na segunda metade do ano que vem. Tomara que todo mundo esteja vacinado até lá", , afirmou Márcio, que é vice-presidente da Federação Nacional das Escolas de Samba (Fenasamba).