Os exames de diagnóstico precoce, ainda com o bebê na barriga da mãe, têm avançado tanto que cada vez mais técnicas não invasivas estão sendo utilizadas para descobrir se há algum problema com o neném. O Laboratório Humberto Abrão realiza esses testes, conhecidos como Neobona, que é uma nova geração de triagem pré-natal não invasiva.

Apenas com um pouco de sangue da mãe é possível detectar se o feto tem alguma alteração cromossômica. Assim, a equipe médica pode fazer um acompanhamento mais qualificado.

“O exame vai detectar se existe anomalia, como as trissomias mais frequentes, que são a síndrome de Down (cromossomo 21), síndrome de Edward (cromossomo 18) e a síndrome de Patau (cromossomo 13). Elas constam na corrente sanguínea, e a sensibilidade do exame é superior a 90%. O exame não é invasivo, não tem punção. É um exame de sangue normal, através do sangue da mãe, a partir da 10ª semana de gestação”, explica o biomédico do laboratório Humberto Abrão, Guilherme Vieira Alves Vaz de Mello.

Com a opção da coleta domiciliar, o cliente não precisa sair de casa. Isso gera conforto porque ele ficará menos tempo de jejum e não terá que se deslocar até o laboratório

 

A coleta do sangue pode ser feita em casa, assim como acontece com quase 80% dos exames oferecidos pelo laboratório.
De acordo com o biomédico, 1% dos fetos apresentam anomalias, por isso é importante o pré-natal para descobrir e comunicar aos médicos que acompanham a gestante.

Essa é uma das novas tecnologias adotadas pelo Laboratório Humberto Abrão, que tem cinco unidades em Belo Horizonte, nas regiões Centro-Sul, Nordeste e Oeste. O laboratório trabalha com exames de análise clínica (sangue, urina, check up), hormonal e área de microbiologia. Há atendimentos em salas individualizadas para coletas de exames uretral, vaginal e endocervical, por exemplo.

No último ano, o laboratório também começou a investir forte em tratamentos de fertilidade masculina e feminina. Outra inovação trazida recentemente é o novo teste de câncer de próstata, que auxilia no diagnóstico da doença.
 

Em casa

O laboratório aposta na coleta domiciliar, e atualmente possui nove carros para que os profissionais possam ir às casas dos clientes.
O atendimento abrange não apenas a capital, mas também algumas cidades da Região Metropolitana, como Lagoa Santa, Contagem, Brumadinho e Vespasiano.

“Na coleta domiciliar o cliente não precisa sair de casa, então não gera desconforto por causa de jejum, do deslocamento e do trânsito. Além do conforto, muitas vezes o paciente não está em condições de ir ao laboratório”, afirma.

Humberto Abrão

O biomédico Guilherme Mello em frente a uma das cinco unidades do laboratório em Belo Horizonte

 

Os funcionários vão às casas em horários flexíveis. A tarifa cobrada pelo serviço é a melhor do mercado para o cliente, garante Mello.
Além disso, ainda há a possibilidade de se ter uma isenção da taxa domiciliar, dependendo da quantidade e do valor dos exames.

Ele explica que alguns exames não podem ser feitos em casa porque requerem que sejam administrados medicamentos durante o procedimento, ou que seja feita mais de uma coleta após um determinado período, por exemplo.

Serviço: Laboratório
Humberto Abrão
Localização: Unidades em Belo Horizonte nos bairros
São Lucas, Lourdes, Cidade Nova, Mangabeiras e Buritis.
Telefones: (31) 2104-5700 e 99707-9945 (Whatsapp)

Site: www.humbertoabrao.com.br