A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2020 encaminhada à Assembleia Legislativa pelo governo de Minas Gerais não prevê reajuste de salários dos servidores estudais. Tampouco revisão de pagamento para o quinto dia útil, que desde a gestão anterior está escalonado.

A LDO é o embrião da Lei Orçamentária Anual (LOA), que deve ser enviada ao Legislativo até o fim de setembro.

Para 2020, em princípio, o déficit no orçamento do Estado será de R$ 11,3 bilhões. Para 2019, após revisão, o déficit é de R$ 15,4 bilhões.

Os números foram apresentados por Otto Levy, secretário de Planejamento, em entrevista coletiva à imprensa. Segundo ele, o governo vai conversar com a Assembleia e com outros setores da sociedade sobre possíveis medidas para recuperar a saúde financeira de Minas Gerais.

Um das possibilidades é o programa de recuperação fiscal, que pode ser firmado com a União.