A maioria dos mineiros aprova a administração do governador do Estado, Romeu Zema (Novo), segundo levantamento divulgado pelo Instituto Paraná Pesquisas, nesta terça-feira (6). O estudo indicou que 61,6% dos entrevistados aprovam a gestão de Zema, contra 32,7% que desaprovam. Outros 5,7% não souberam opinar.

A pesquisa mostra, ainda, que 7,2% acham a nova administração ótima e 35,1% a consideram boa. Outros 32,3% disseram que o governo é regular, 12,5% acham ruim, e 9,9%, péssimo.

Captyrar.PNG

Levando-se em consideração a faixa etária, a aprovação maior ficou por conta das pessoas com mais de 60 anos, com 63,7% de apoio. Já o índice entre os que possuem de 35 a 44 anos foi o menor, 60,9%. Em relação à escolaridade, 64,2% dos eleitores com ensino fundamental aprovam Zema. O menor índice ficou com quem possui o ensino médio, 59,1%. Em relação ao sexo, 64,4% dos homens aprovam o governo de Zema, contra 59% das mulheres. 

capturar2.PNG

Durante a pesquisa, os eleitores também foram perguntados se saberiam dizer alguma obra, medida administrativa ou benefício à população realizados pelo governador. Nesse contexto, apenas 16,3% disseram ter conhecimento contra 83,7% que afirmaram desconhecimento.

Em relação ao posicionamento quanto à privatização da Companhia Enérgética de Minas Gerais, a Cemig, 51,3% são contra e 37, 9% são a favor. Não souberam ou não opinaram 10,8% daqueles que participaram do levantamento.

Para a realização da pesquisa, foram entrevistadas 1.810 pessoas, a partir de 16 anos de idade, em 82 municípios entre os dias 28 julho e 2 de agosto. O nível de confiança, segundo o instituto, é de 95% para uma margem de erro de aproximadamente 2,5%.

Bolsonaro

A pesquisa ainda revelou que a maioria dos eleitores também apoia o governo do presidente Jair Bolsonaro, sendo 53,7% a favor e 41,5% contra. 4,8% dos entrevistados não souberam ou não opinaram. 

Capturar3.PNG

O índice mais alto de aprovação ficou por conta dos eleitores masculinos, que representam 59,7%. As mulheres chegaram a 48,2% de apoio. 

Em relação à faixa etária, a aprovação maior vem das pessoas com mais de 60 anos (56,9%) e a menor está entre os que possuem de 45 a 59 anos (51%).

Leia mais:
'Má vontade' da União sobre Lei Kandir frustra Zema e STF propõe acordo em seis meses
'É inadmissível uma reforma sem estados e municípios', afirma o presidente da ACMinas