A polícia grega informou que mais de 10 mil pessoas que desejam seguir rumo aos países da Europa Ocidental, a maioria refugiados sírios e iraquianos, estão presas na passagem de Idomeni, na fronteira entre Grécia e Macedônia, em condições deploráveis.

Centenas de tendas preenchem os campos que se estendem em direção à fronteira, que é patrulhada no lado macedônio por dezenas de policiais. Ontem, a Macedônia permitiu a passagem de apenas 30 refugiados.

A passagem de Idomeni se tornou uma questão chave na crise de imigrantes na Europa. Diversas nações europeias, lideradas pela Áustria, impuseram restrições de fronteira e criaram campos de refugiados ao longo dos últimos dez dias, gerando uma reserva de imigrantes enorme na Grécia. Essas ações unilaterais enfureceram Grécia e ameaçam prejudicar a unidade da União Europeia.

Autorização

Alguns imigrantes esperam por autorização de passagem em Idomeni há mais de uma semana. O campo de refugiados está lotado e mais e mais pessoas chegam diariamente. Durante a noite, a chuva atingiu várias famílias, que colocaram suas roupas para secar pela manhã.

Jasmin Rexhepi, chefe do grupo de ajuda humanitária Legis, que tem voluntários trabalhando na fronteira da Macedônia com a Grécia e a Sérvia, disse à Associated Press que as autoridades macedônias restringiram a passagem de imigrantes porque a Sérvia permitiu a entrada de apenas 30 pessoas no país ontem entre as 410 que estavam em um trem e buscavam passagem. Segundo ele, a macedônia aguarda a Servia abrir sua fronteira para liberar passagem.

Cerca de 70 pessoas, incluindo crianças, que a Macedônia serem na maioria do Paquistão estão presas entre as cercas de arame farpado na fronteira do país por três dias. Rexhepi diz que as autoridades da macedônia estão tentando mandá-los de volta à Grécia porque eles cruzaram a fronteira ilegalmente, mas a Grécia se recusa a recebê-los.

"Estamos fornecendo água, comida, sacos de dormir e capas de chuva para o grupo", afirmou Rexhepi.