O Ministério do Trabalho informou, nesta quinta-feira (25), que 186 mil trabalhadores mineiros que têm direito a sacar o abono salarial do PIS/PASEP, relativo ao ano de 2016, ainda não o fizeram. O prazo para retirar o benefício nas agências bancárias termina no dia 28 de dezembro e "não haverá nova prorrogação". Segundo a Caixa, o montante disponível para saque chega a R$ 138,5 milhões. O dinheiro não retirado no prazo determinado retornará ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Em toda a região Sudeste, 872,5 mil trabalhadores ainda têm R$ 638,4 milhões a receber. O valor disponível em todo o Brasil chega a R$ 1,36 bilhão. São 1,85 milhão de trabalhadores que ainda não sacaram o benefício, o que corresponde a 7,56% do total das pessoas com direito ao abono de 2016.

Quem recebe

O abono salarial equivale ao valor de, no máximo, um salário mínimo pago aos trabalhadores que estejam cadastrados há, pelo menos, cinco anos no Programa de Integração Social (PIS) e trabalhado, no mínimo, 30 dias com carteira assinada. O valor do benefício é calculado proporcionalmente ao tempo de serviço.

Além de cadastrado no PIS, o beneficiário também precisa ter recebido remuneração mensal média de até dois salários-mínimos durante o ano-base; ter exercido atividade remunerada para pessoa jurídica durante pelo menos 30 dias, consecutivos ou não, e ter seus dados informados pelo empregador corretamente na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

Os empregados da iniciativa privada, vinculados ao Programa de Integração Social (PIS), sacam o dinheiro nas agências da Caixa Econômica Federal. A lista dos beneficiários pode ser consultada neste site. Para os funcionários públicos vinculados ao Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP), a referência é o Banco do Brasil. A relação pode ser consultada aqui.