O candidato à Presidência da República pelo PCB, Mauro Iasi, esteve nessa terça-feira (26) em Belo Horizonte, onde se reuniu com lideranças do Sindicato dos Aeroviários de Minas Gerais. Esta é a segunda vez que o comunista vem ao Estado durante a campanha eleitoral. “Minas é estratégico, politicamente nada se decide no país sem passar por aqui”, disse.

Segundo Mauro, o Estado também é representativo dentro das propostas que tem defendido para o Brasil. “Queremos, por exemplo, a reversão das privatizações e o controle dos setores estratégicos da economia. Aqui em Minas, na mineração temos 4 grandes empresas que monopolizam o setor, produzindo grande impacto social e ambiental. Defendemos que é uma área que deve ser controlada pelo estado e pela população”, disse.

Outro ponto destacado pelo candidato é a necessidade de se fazer uma reforma agrária no país. “Nos últimos 12 anos a reforma agrária paralisou, se não voltou para trás. Temos uma situação muito grave nos assentamentos, por falta de recursos e investimentos. Em Minas Gerais podemos perceber a prioridade que o Governo Federal tem dado ao agronegócio e não aos assentamentos, à agricultura familiar”, disse.

Agenda

Nessa terça à noite Mauro Iasi foi para São Paulo, para conceder entrevistas, mas retorna ainda nesta quarta-feira (27) à Minas Gerais, onde visita um assentamento em Florestal, na Região Metropolitana de BH. Depois o candidato participa de atividades de campanha na porta da Fiat, em Betim, junto com o Sindicato dos Metalúrgicos. Ele será acompanhado pelo candidato do PCB ao governo estadual, Tulio Lopes.

Tarcísio Delgado (PSB), candidato da coligação “Minas quer Mudança”, participa, às 9h, de encontro com lideranças do Fórum Permanente “Cláudio Vilaça” de defesa dos direitos do servidor público de MG, no Auditório da AFEMG. Os outros candidatos não divulgaram a agenda de campanha.