Um menino de 11 anos ficou com ferimentos graves no braço direito após ser atacado por um tigre na tarde desta quarta-feira, 30, no zoológico de Cascavel (PR). Ele estava em um local proibido no recinto dos felinos quando foi atacado pelo tigre, chamado Hu. O pai do menino, Marcos Antônio Rocha, de 43 anos, ignorou alertas de outros visitantes e pode responder por lesão corporal grave e falta de cautela.

Dois vídeos feitos por visitantes do zoológico mostram o menino brincando com os animais selvagens antes do ataque. Em um dos vídeos, o garoto de 11 anos está alimentando um leão, junto à grade da jaula do animal. No outro, ele corre de um lado para outro, estressando o tigre que o atacou.

Veja as imagens:

O Pai da criança contou que estava cuidando do outro filho, de 3 anos de idade, e por isso não viu o garoto de 11 anos se aproximar da jaula. Ele foi detido por permitir que a criança se aproximasse da área não permitida do zoológico.

O menino está internado no Hospital Universitário de Cascavel. Ele chegou em estado grave e precisou ter um dos braços amputados devido à gravidade dos ferimentos. Em nota, a prefeitura de Cascavel disse que a criança ultrapassou a grade de segurança da jaula e foi atacado pelo tigre Hu.

A Prefeitura de Cascavel, responsável pelo zoológico, emitiu uma nota sobre o caso ainda na quarta-feira. Leia a íntegra:

A veterinária Gladis Dalmina, funcionária do Zoológico de Cascavel, confirmou que na tarde de hoje (30) aconteceu um acidente envolvendo uma criança de aproximadamente 11 anos, que ultrapassou a grade de segurança da jaula e foi atacada por um felino, o Tigre Hu. 

Segundo integrantes da equipe de cuidadores, o menor foi incentivado pelo próprio pai a correr em volta da jaula, dentro da grade de proteção, provocando o animal. O pai ignorou todas as placas de alerta para evitar se aproximar do local e não ouviu apelos de quem o observava para cessar a brincadeira.

Populares que assistiam à cena, gravaram a movimentação e avisaram os responsáveis, contrariados com o comportamento do pai da criança.

Em certo momento, o menino teria colocado o braço entre as grades, quando foi atacado pelo tigre. O Siate foi chamado e providenciou o atendimento e a remoção da criança ao Hospital Universitário, onde recebe os cuidados.