Depois de três meses de desespero, o varejo de automóveis teve um suspiro de alívio em junho. Segundo o boletim da Associação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), foram emplacados 122.772 carros de passeio e comerciais leves no mês passado. Trata-se do melhor desempenho desde abril, quando grande parte das cidades iniciou os protocolos de isolamento para conter a pandemia da Covid-19.

O volume corresponde a um crescimento de 116,78% sobre maio. No entanto, no comparativo com junho de 2019, a queda foi de 42%. “A queda já era esperada, em função do atual cenário, considerando os efeitos da pandemia do Covid-19, que obrigou o fechamento do comércio e o isolamento social durante longo período. Mas quando avaliamos o mês de junho, na comparação com maio deste ano, já observamos uma expressiva melhora, explicada pelo retorno das atividades dos Detrans, principalmente em São Paulo, que representou 32,1% das vendas nacionais, e da reabertura das concessionárias para vendas, na capital paulista e em outras localidades”, explica o presidente da entidade, Alarico Assumpção Júnior.

No mês passado, o representante da Fenabrave criticou as medidas tomadas pelo Executivo paulistano, assim como o governo do Estado, que segundo ele estava demorando a liberar a abertura das concessionárias, devido à estratégia de contenção da pandemia.

No acumulado do ano, a queda é de 38,88%. Analistas e executivos da indústria esperam terminar o ano com retração de 25% sobre 2019, num cenário animador. Caso mantenha os 40% de perdas, isso corresponderia a 1,4 milhão de unidades que deixariam de ser comercializadas, como explicou ao Hoje em Dia o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, que representa os fabricantes instalados no país.

Participação

Entre as líderes de mercado, a General Motors segue na posição mais alta, com 17,62% do mercado. Volkswagen e Fiat se mantêm estáveis na segunda e terceira colocações, com 16,27% e 14,29%, na ordem. A Hyundai figura na quarta posição, com 8,29%. Já do quinto ao sétimo lugar, Ford, Renault e Toyota se engalfinham com participações que variam entre 7,93 e 7,70%.

Mais vendidos

Com ou sem pandemia, o Chevrolet Onix segue impávido na liderança do mercado. Em junho foram 6.234 emplacamentos. No acumulado do ano, o compacto registra 60.267 unidades. Na segunda posição, figura o HB20, com 5.792 licenciamentos e acumulado de 32.843 carros. 

Já a surpresa do mês foi o Volkswagen T-Cross, que foi o terceiro modelo mais vendido de junho, com 5.463 unidades. Historicamente o ponto mais elevado do ranking de vendas. E o salto fez com que o jipinho alemão colasse no líder Jeep Renegade. Desde janeiro, o modelo norte-americano vendeu 20.710 unidades; o T-Cross está apenas 115 carros atrás. Uma luz amarela acendeu para o Renegade – e, pelo que parece, é a da seta esquerda do T-Cross.