O planeta Terra se transformou uma imensa sauna, sem toalhas brancas nem cheiro de eucalipto. Na verdade é uma estufa de monóxido e dióxido de carbono, e muito disso é culpa do automóvel. E diante desse cenário caótico, fabricantes (por força da lei) passaram a desenvolver soluções para tornar seus produtos menos nocivos ao meio ambiente. 

A Estrela de Três Pontas realizou um encontro para apresentar as soluções de mobilidade de baixo impacto ambiental, que ela chamou de Mercedes EQ Electric Intelligence. E para provar que não estava de conversa fiada, toda emissão de carbono do evento foi auditada por uma empresa especializada em créditos de carbono, e as 20 toneladas emitidas serão convertidas em plantio de árvores.

Mas fato é que a marca adiantou que irá lançar o utilitário-esportivo (SUV) elétrico EQC 400 4Matic em junho. O jipão chega para brigar com modelos como o Audi e-Tron, que começará a ser entregue em maio por R$ 460 mil. 

Segundo a Mercedes, o SUV, 100% elétrico, tem autonomia para 440 quilômetros. Os dois motores, montados junto aos eixos, somam 408 cv e garantem tração integral ao utilitário-esportivo.

EQA
No mesmo encontro, a marca apresentou o conceito EQA, que será a variante elétrica do hatch Classe A. Ele também utiliza dois motores, um para cada eixo, que geram o equivalente a 270 cv. Segundo a Mercedes, a versão de produção do hatch está prevista para estrear em 2021. 

Monitoramento
Outro tema que também busca mitigar emissões é o serviço Mercedes Me Connect. Trata-se de uma plataforma de monitoramento de desempenho do carro em tempo real. Ele é capaz de informar à assistência técnica anomalias que podem gerar defeitos.

Esse tipo de ferramenta já é utilizado no segmento de caminhões para ajudar frotistas a reduzir custos com manutenção e com veículo parado. O Mercedes Me Connect estará disponível a partir do ano que vem.