Milhares de fãs e colegas da música se despedem de Marília Mendonça

Da redação
portal@hojeemdia.com.br
06/11/2021 às 15:07.
Atualizado em 05/12/2021 às 06:12
 (Reprodução CNN Brasil)

(Reprodução CNN Brasil)

Milhares de fãs estão reunidos na tarde deste sábado (6) no ginásio Goiânia Arena, ao lado do Serra Dourada, para se despedir da cantora Marília Mendonça. A artista foi uma das cinco vítimas fatais do acidente de avião, na cidade mineira de Caratinga, no Vale do Rio Doce. 

Uma imensa fila se formou desde o início da manhã. Os organizadores do velório montaram um grande corredor de grades para conduzir os fãs. A própria equipe da cantora trabalhou na organização da cerimônia.

A previsão era que os corpos chegassem ao local pela manhã, mas só chegaram no início da tarde. Segundo o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), a expectativa é que 100 mil pessoas compareçam ao ginásio para se despedir da artista. 

Mesmo sob o sol forte, com temperaturas acima dos 30 ºC, a multidão se manteve contida e em vários momentos cantaram sucessos de Marília Mendonça. Quando o acesso aos fãs foi liberado, os fãs seguiram de forma ordeira para poder se despedir rapidamente da cantora.

Artistas e parceiros da cantora também compareceram ao velório. No estacionamento do ginásio vários ônibus de duplas sertanejas se posicionaram para compor o cortejo. A expectativa é que às 16h30 o cortejo com o corpo da artista parta em direção ao cemitério Parque Memorial Goiânia, onde apenas familiares acompanharão o sepultamento, agendado para às 17h30. 

A carreira

Com apenas 26 anos, a ascensão da artista goiana, nascida em Cristianópolis, foi meteórica. A cantora se tornou um símbolo do empoderamento feminino ao colocar a mulher no centro de suas letras. Nelas, Marília impõe o protagonismo das mulheres em suas vidas. E na vida real ela fez o mesmo, ao desbancar a hegemonia masculina na música sertaneja.

Aos 20 anos já tinha lançado o seu primeiro DVD, mas não esperava grandes resultados. A surpresa veio após a realização de um show em Goiânia, quando os ingressos se esgotaram com uma semana de antecedência. A partir daí, a trajetória fez uma curva ascendente, conquistando todo o Brasil com a sua voz forte.

Em pouco tempo virou dona do maior canal do segmento de música sertaneja do YouTube, hoje com mais de 21 milhões de inscritos. Ela se tornou a primeira artista brasileira a atingir a marca de 12 bilhões de visualizações. 

Poucos meses após a gravação do primeiro DVD, feito numa pequena sala do estúdio de Eduardo Pepato, ela já partiu para o segundo, registro de um show realizado no Sambódromo de Manaus para mais de 40 mil pessoas. Era a prova de que a cantora havia alcançado uma popularidade de norte a sul do país. O álbum também seria indicado ao Grammy Latino na categoria sertanejo, em 2017.

As apresentações fora do Brasil também se tornaram corriqueiras. Em 2017, participou da turnê europeia do Festival Festeja em cidades como Lisboa, Bruxelas e Londres. Nos Estados Unidos, em 2018, passou por cinco localidades (Orlando, Atlanta, Deerfield Beach, Newark e Boston). No ano seguinte, ela viu a "sofrência" arrebatar públicos nas principais capitais da Europa.

Foi nesta segunda passagem pelo Velho Continente que ela foi convidada para fazer um pit stop em Paris, para um show particular: a festa de aniversário de Neymar, craque da Seleção Brasileira e do Paris Saint-Germain. Nessa época, ela tinha acabado de lançar o projeto "Todos os Cantos", percorrendo vários cantos do Brasil, em apresentações surpresa.

Em Belo Horizonte, o público lotou a Praça da Estação em 7 de outubro de 2019. As estimativas eram de cerca 100 mil pessoas presentes. Os fãs puderam escutar a inédita "Graveto" - a proposta do projeto era mostrar uma nova música em cada praça. O clipe de "Graveto", por sinal, foi o mais visto em 2020, segundo o YouTube.

A apresentação, por outro, também ganhou as manchetes policiais: antes de o show começar, um homem foi esfaqueado em um bar ao lado da Praça. No final, houve um arrastão, provocando um corre-corre de milhares de pessoas pelas ruas da região central. A explicação dos produtores para tanta confusão é que haviam subestimado a presença de público. Esperam por apenas 15 mil, o que levou a um plano de segurança baseado nestes números.

Em janeiro deste ano, ela conquistou um recorde ao ultrapassar os Beatles em número de seguidores no Spotify, alcançando a posição 41 no ranking mundial, ostentando mais de 18,5 milhões de seguidores, à frente de nomes como Sia, Linkin Park, The Chainsmokers, AC/DC, Katy Perry, Kendrick Lamar e Michael Jackson, além dos Beatles.

Os assessores da cantora gostavam de enfatizar que Marília tinha a agenda de shows mais concorrida do mercado, com uma média de 20 por mês. Durante a pandemia, ela não parou. Além de lives, lançou diversos singles e escreveu várias canções, alguns deles presentes no álbum recém-lançado "Patroas 35%", feito com a dupla Maiara & Maraisa.

A tragédia

Na tarde desta sexta-feira (5), o avião que transportava Marília Mendonça caiu em uma cachoeira, na zona rural de Piedade de Caratinga.  A aeronave decolou de Goiânia e seguia para Caratinga, cidade também no Vale do Rio Doce, onde a artista faria um show na noite da sexta. Todos que estavam na aeronave morreram. 

O resgate das vítimas demorou cerca de três horas, já que o avião estava em uma área de difícil acesso. Equipes do Samu, bombeiros militares e policiais atuaram na retirada dos corpos.

De acordo com o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas, os ocupantes estavam presos entre as ferragens. Os primeiros a serem resgatados foram os passageiros, já  que o piloto e o co-piloto estavam em áreas mais difíceis.

A Seripa, órgão ligado à Força Aérea Brasileira responsável pela investigação de acidentes aéreos, informou que irá apurar as causas do acidente. Os investigadores do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos virão do Rio de Janeiro na manhã deste sábado (6) para dar início ao trabalho de perícia da aeronave e avaliação das condições de voo. Segundo a Cemig, a aeronave atingiu um cabo de alta tensão da companhia momentos antes da queda.

A artista estava em um bimotor Beech Aircraft, da PEC Táxi Aéreo, de Goiás, prefixo PT-ONJ, com capacidade para seis passageiros. Segundo informações da Anac, o avião estava em situação regular.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por