Minas Gerais foi o Estado que mais gerou empregos em junho de 2018, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, divulgados nesta semana. Foram abertas 10.332 novas vagas de emprego formal, com destaque para o setor da construção civil, com 4.102 novos postos de trabalho.

Os setores da indústria da transformação, com 2.337, e agropecuária, com 2.547 foram, respectivamente, responsáveis pelos melhores desempenhos. O setor do comércio foi um dos piores em julho, com apenas 308 vagas abertas no mês. 

O saldo de empregos de julho foi positivo em quatro das cinco regiões do país, com destaque para o Sudeste, com abertura de 24.023 postos (+0,12%). Os demais crescimentos foram verificados no Centro-Oeste, com 9.911 postos (+0,31%); Nordeste, com 7.163 vagas (+0,12%); e Norte, com 6.635 postos (+0,39%). A única redução ocorreu na Região Sul, com fechamento de 413 vagas (-0,01%).

Desempenho nacional

Ainda de acordo com o Caged, houve crescimento do emprego formal em seis dos oito setores econômicos. A maior expansão foi dos setores de Agropecuária (17.455 postos), Serviços (14.548 postos) e Construção Civil (10.063 postos).

A Indústria de Transformação (4.993 postos), os Serviços Industriais de Utilidade Pública (1.335 postos) e a área Extrativa Mineral (702 postos) também tiveram saldos positivos. Os recuos foram nos setores de Administração Pública (-1.528 postos) e Comércio (-249 postos).