A BRF, empresa brasileira de alimentos que é dona das marcas Sadia e Perdigão, anunciou nesta quarta-feira (13), que Minas Gerais está entre os estados que receberam parte dos lotes que tiveram o recolhimento determinado por conta da possibilidade de contaminação pela bactéria salmonella enteritidis.

Ao todo, a empresa determinou o recolhimento de 164,7 toneladas de carne de frango in natura destinadas ao mercado doméstico, e de outras 299,6 toneladas do produto que seriam vendidas para outros países. Já são retirados do mercado nacional coxas e sobrecoxas sem osso, meio peito sem osso e sem pele (em embalagens de 15kgs), filezinhos de frango (embalagem de 1kg), filé de peito (embalagem de 2kg) e coração (embalagem de 1kg).

"Os produtos foram comercializados nos estados do Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo", explica a página criada pela BRF para sanar as dúvidas dos consumidores, clique aqui para ver.

Sintomas

A empresa destaca que, caso os alimentos não sejam completamente fritos, cozidos ou assados e manuseados conforme instruções de uso nas embalagens, "a salmonella enteritidis representa risco à saúde, podendo causar infecção gastrointestinal, cujos sintomas mais comuns são: dores abdominais, diarreia, febre e vômito". 

Por fim, a BRF garante que irá coletar os produtos de todos os lotes envolvidos no recall, mas argumenta que, para isso, é necessário que o consumidor siga a identificação das embalagens. 

"Uma vez identificado o produto, o consumidor deve entrar em contato por meio do e- mail recolhimento.sac@brf-br.com ou ligar gratuitamente para o telefone 0800 031 1315. Nossa equipe informará os procedimentos para substituição, devolução ou ressarcimento dos produtos, sendo necessária a apresentação física do produto para a conclusão do recolhimento", orienta a marca. 

Confira abaixo os números dos lotes que são retirados do mercado: 

LOTES CARNES SALMONELLA
Clique na imagem para ampliar. Caso não consiga, clique AQUI para acessar o site da BRF e vá na opção 02

Veja agora o passo a passo de como identificar se o produto que você tem em casa está entre os que podem estar contaminados: 

orientação recall frango salmonella
​Clique na imagem para ampliar. Caso não consiga, clique AQUI para acessar o site da BRF e vá na opção 02
FILÉ DE PEITO
FILEZINHO
CORAÇÃOZINHO

Posicionamentos oficiais

Procurada, a assessoria de imprensa do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) informou que a fiscalização destes produtos é responsabilidade da Inspeção Federal e que, por isso, não poderia se manifestar sobre o caso. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também foi procurada pelo Hoje em Dia, e informou que o recolhimento dos diversos lotes de cinco cortes de frango da Perdigão será publicada nesta quinta-feira (14) pelo órgão. 

"A ação foi motivada pela comunicação da empresa BRF, dona da marca, de que está fazendo o recolhimento voluntário de coxas e sobrecoxas sem osso, meio peito sem osso e sem pele, filezinhos de frango, filé de peito e coração. O problema foi identificado pelo controle de qualidade da própria empresa que comunicou à Anvisa e ao Ministério da Agricultura", completa a nota da Anvisa. 

O superintendente da Associação Mineira de Supermercados (Amis), Antônio Claret, também foi questionado sobre a situação. Ele informou que até a tarde desta quarta-feira a entidade ainda não havia recebido informação sobre o recolhimento em Minas, mas que um levantamento sobre quais supermercados adquiriram os produtos deveria ser feito caso a presença destes produtos no Estado fosse confirmada pela BRF. 

A BRF também divulgou uma nota sobre o ocorrido. Confira o posicionamento na íntegra: 

"A BRF informa que inicia hoje um recall 164 toneladas de frango in natura no mercado nacional produzidos na planta de Dourados, no Mato Grosso do Sul (MS). Em testes laboratoriais realizados pela própria companhia, como parte de seu plano de controle de qualidade, a empresa identificou potencial risco da presença de Salmonella enteritidis na produção dos dias 30 de outubro e 5, 6, 7, 9, 10 e 12 de novembro de 2018, e com carimbo de inspeção do S.I.F. 18. Adicionalmente, também estão sendo recolhidas 299 toneladas que foram destinadas ao mercado internacional. 

A companhia ressalta que esse microrganismo não sobrevive se o alimento for cozido, frito ou assado, o que é a regra no consumo de produtos de frango in natura, conforme descrito na embalagem. Caso esses cuidados não sejam observados, a Salmonella enteritidis representa risco à saúde, podendo causar infecção gastrointestinal cujo sintomas mais comuns são: dores abdominais, diarreia, febre e vômito. 

Estão sendo recolhidas do mercado nacional coxas e sobrecoxas sem osso, meio peito sem osso e sem pele (em embalagens de 15kgs), filezinhos de frango (embalagem de 1kg), filé de peito (embalagem de 2kg) e coração (embalagem de 1kg). 

A presença da Salmonella enteritidis foi confirmada em uma parte das análises realizadas em produtos fabricados nas datas envolvidas no recall. Mas com base no princípio da precaução e na orientação das autoridades, a BRF está fazendo o recolhimento de tudo o que foi produzido em Dourados nas datas acima citadas, independentemente da positividade confirmada. 

A companhia já iniciou a coleta de todos os lotes para os quais determinou-se o recolhimento, com a retirada dos produtos eventualmente estocados em pontos de vendas. Com o recall, os consumidores finais que tenham o alimento em casa devem consultar as datas de fabricação e origem nas embalagens dos cortes de frango e entrar em contato por meio do e-mail recolhimento.sac@brf-br.com  ou pelo telefone 0800 031 1315. Equipes internas informarão os procedimentos para substituição, devolução ou ressarcimento gratuito dos produtos. 

A BRF tem como princípios de atuação segurança, qualidade e integridade que guiam a ação da companhia também neste momento. A administração da companhia reitera seu compromisso inegociável em oferecer produtos feitos com rigoroso processo de qualidade em todas as suas linhas."

Leia mais:
Dona das marcas Sadia e Perdigão recolhe carne de frango por risco de contaminação por salmonella
Arábia Saudita descredencia 33 unidades de carne de frango brasileiras
PF indicia Abílio Diniz e mais 42 investigados por fraude sobre carne
Juiz condena mais seis na Operação Carne Fraca