Minas Trend ignora a crise, amplia negócios e exporta a moda do Estado

Janaína Oliveira
joliveira@hojeemdia.com.br
04/04/2016 às 20:11.
Atualizado em 16/11/2021 às 02:47
 (Janaína Oliveira - Hoje em Dia)

(Janaína Oliveira - Hoje em Dia)

 Não há espaço para crise na passarela da 18ª edição do Minas Trend Preview, principal evento de moda e feira de negócios do setor no Estado e um dos mais importantes do país. Até o dia 7 abril, no Expominas, 600 compradores brasileiros e 15 internacionais, selecionados a dedo para participação no evento, devem gerar, cada um, volume de até R$ 2 milhões em compras. Pelo menos é essa a expectativa da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), parceiros na realização do encontro.

 “Mais cedo, fomos dar uma volta e visitamos 12 estandes. Em alguns, a resposta foi que mais de 80% das vendas da empresa no ano saem do evento. Então isso nos dá uma expectativa muito positiva, além do sentimento de que aqui não tem clima ruim e pessimismo com a economia”, afirmou o presidente da Fiemg, Olavo Machado.

 Segundo ele, o glamour, a badalação e o frisson, que caracterizavam as primeiras edições do Minas Trend, foram aos poucos perdendo espaço para o dinamismo da feira de negócios. “Desde que mudamos para o Expominas, o foco na comercialização tem crescido”, disse. Além dos potenciais compradores pré-selecionados, ainda são esperados 15 mil visitantes nos três dias de evento.

 Nesta edição, são 220 fabricantes de roupas, calçados, bolsas, acessórios, bijuterias, joias, com produtos voltados para a Primavera/Verão 2017. Na temporada de lançamentos da mesma coleção em 2016, foram 251 expositores. “Isso é uma redução muito pequena. E há empresários que antes dividiam espaço que hoje estão sozinhos, num estande maior”, justificou Machado.

 Para o presidente da Codemig, Marco Antônio Castello Branco, o empurrão da valorização do dólar frente ao real deve alavancar os negócios entre a indústria mineira e clientes da Europa, China e Índia. “A moda servirá como veículo de internacionalização da nossa economia”, disse.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por