Uma mineira de Poços de Caldas está entre as 18 mortes causadas pelas enchentes que atingiram a ilha de Sardenha, na Itália. De acordo com as autoridades locais, além da mulher, o marido e os dois filhos do casal, 16 e 20 anos, respectivamente, morreram na tragédia. Os quatro eram brasileiros, sendo que o homem é natural de de São Paulo. A família morava em um apartamento no subsolo de um prédio em Arzachena, no norte da ilha.  morreram.Ambos tinham 42 anos. No local também morreram a filha deles, de 16 anos, e o irmão, de 20. Os pais tinham 42 anos.

O Consulado do Brasil na Itália já entrou em contato com as famílias das vítimas que receberão todo o apoio necessário, explicou a assessoria do Itamaraty.

A Itália declarou estado de emergência nesta terça-feira na ilha de Sardenha, depois de enchente repentinas terem matado 17 pessoas, dentre elas 4 brasileiros, e terem feito com que centenas de pessoas buscassem abrigos emergenciais.

Várias pessoas ainda estão desaparecidas e equipes de resgate tentavam chegar a áreas rurais mais baixas afetadas pelas fortes chuvas e ventos de segunda-feira, quando muitos rios transbordaram.

"Decidimos convocar uma reunião de gabinete para declarar estado de emergência, o que vai ajudar a impulsionar as operações de resgate e alocar recursos. A prioridade é salvar vidas humanas", disse o primeiro-ministro Enrico Letta. "Este é uma tragédia inacreditável", afirmou ele.

A cidade portuária de Olbia, popular destino de férias nos meses de verão, ficou praticamente embaixo d'água. O número de vítimas subiu para 17 de várias pessoas estão desaparecidas", disse o governador regional Ugo Cappellacci ao canal de notícias SkyTG24.

"A operação para atender às necessidades básicas para os desalojados está em ação. Pretendemos restaurar o fornecimento de eletricidade, começar a bombear a água de áreas inundadas e limpar as ruas", afirmou Cappellacci.

Gianfranco Galaffu, diretor da agência de proteção civil, disse à agência France Presse que "cerca de 20 mil pessoas" foram afetadas pela inundação na Sardenha.

O chefe da agência de proteção civil, Franco Gabrielli, disse que a ilha estava "despreparada" para a inundação e que muitos moradores locais usaram mídias sociais para reclamar que não receberam advertências suficientes sobre previsões meteorológicas.

Gabrielli disse que caíram 440 milímetros de chuva na ilha nas últimas 24 horas, muitas vezes mais do que a média para esta época do ano.

O jornal local L'Unione Sarda informou que um policial, que ajudava a escoltar uma ambulância, morreu quando o carro que dirigia ficou submerso após o desabamento de uma ponte em Dorgali. Em Gallura, três pessoas morreram depois que o carro onde estavam ter sido levado pelas águas após o colapso de outra ponte. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.