Um aplicativo criado por mineiros vem com a proposta de mudar o jeito como funcionários e empresas lidam com o vale-transporte. A plataforma permite que as empresas economizem na hora de recarregar os cartões de vale-transporte e que os colaboradores recebam, também, parte do dinheiro economizado em forma de créditos para serviços de mobilidade.

Segundo um dos fundadores do ABSMob, Carlos Mascarenhas, a plataforma é uma maneira de fazer com que a empresa otimize os gastos com o vale-transporte. "A empresa calcula o benefício com base na necessidade do funcionário, mas, muitas vezes, ele acaba conseguindo uma carona, por exemplo, e aquele dinheiro sobra no cartão dele, aí a empresa precisa recarregar no mês seguinte e aquele dinheiro é colocado sem necessidade, e tudo o que sobra vai para as operadoras dos cartões, ou seja, empresa e funcionários perdem", explicou.

A ideia do ABSMob é que o funcionário que desejar baixe o aplicativo e informe todas as vezes que não utilizar os créditos do cartão de transporte. Esse dado é entregue à empresa, que passa a ter controle de quanto o colaborador precisará no próximo mês. A partir daí, ela deposita o valor para suprir todos os dias do mês a seguir subtraído o valor que sobrou no mês anterior. Por exemplo, se um funcionário que precisa de R$ 10 por dia não usou por cinco dias, no mês seguinte seu cartão será recarregado com R$ 50 a menos. Desses R$ 50, metade vai para o caixa da empresa, até 30% para o funcionário e o restante para pagar o ABSMob.

O dinheiro para o trabalhador, no entanto, não vem em espécie ou por depósito, mas é transformado em crédito para um cartão de mobilidade, que pode ser usado, por exemplo, em aplicativos de transporte, postos de gasolina, redes de manutenção veicular e créditos para celular.

Uma vantagem bastante destacada por Mascarenhas sobre o app é a possibilidade de até quem não usa o vale-transporte da empresa sair ganhando. "Temos também um sistema que recompensa quem dá carona aos colegas de trabalho, com parte do valor economizado sendo revertido em crédito para esse motorista também", detalhou. O motorista que dá carona também recebe um cartão como o do usuário e pode utilizar os bônus na mesma rede credenciada. "Além de economia, esse sistema também permite uma interação maior entre a equipe, que passa a se relacionar também fora do ambiente de trabalho, o que é comprovadamente benéfico para todo o sistema da empresa", defendeu Mascarenhas.

O analista de dados David Whiter de Souza Batista usa o app há mais ou menos cinco meses, desde que ele estava em fase de testes, e conta que, hoje, chega a economizar metade do que gastava com combustível, além de o desconto do vale-transporte ser menor em seu salário. "Eu já costumava vir de carro duas ou três vezes por semana, aí sempre sobrava bastante no cartão, agora eu venho, registro que não usei e o dinheiro volta em crédito pra mim, além de eu conseguir dar carona para os colegas que moram na minha rota", detalhou. O app também cruza dados e junta usuários que fazem as mesmas rotas e horários para o trabalho.

Hoje, o app é usado por uma média de 5 mil colaboradores de quatro empresas em todo o Brasil, mas já existem outras 10 organizações em processo de implementação e contratos sendo fechados, segundo contou o fundador do ABSMob. A expectativa é de que até o fim do ano sejam 50 mil usuários.