Os belo-horizontinos planejam gastar R$ 555,20 com itens à venda durante a realização da Black Friday, na sexta-feira 23 de novembro. O levantamento da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) foi divulgado nesta quarta-feira (14). O estudo também mostrou que 48,3% dos consumidores da capital estão aguardando a data para ir às compras. 

Outros resultados da pesquisa mostram que os produtos mais procurados serão os eletrodomésticos e eletrônicos e que a maioria das compras será online. De acordo com a CDL/BH, foram entrevistadas 300 pessoas em Belo Horizonte e Região Metropolitana, no período de 4 a 28 de outubro de 2018. 

A expectativa dos entrevistados é de grandes descontos e boas promoções na Black Friday brasileira em 2018. O tíquete médio, que ultrapassa os R$ 500, é explicado pela compra de itens mais caros, como explica o vice-presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva. 

“Parte da população espera a data para comprar produtos de maior valor como os televisores, geladeiras, celulares, tablets, videogames, entre outros. Esses itens costumam ter um percentual significativo de descontos na Black Friday”, disse. 

Dados: quem irá comprar?

- 60,5% esperam descontos entre 41% e 60% nos produtos.
- Em média, entrevistados esperam descontos de até 48,8%.
- Os moradores das Regionais Noroeste (90,2%), Pampulha (78,3%) e Centro-Sul (72,7%) são os que estão mais dispostos a comprar na Black Friday.

Não irão comprar: 51,7% 

- 58,7% não acreditam que é vantajoso.
- 25% não têm dinheiro. 
- 6% não têm tempo para acompanhar.
- 5,5% não precisam de nenhum produto no momento.
- 3,6% não sabem como funciona.
- 1,2% desempregado.

“Muita gente não vê vantagens nos descontos oferecidos ou está cortando os gastos. Parte dos consumidores ainda está cautelosa para consumir”, afirmou Marcelo de Souza e Silva, vice-presidente da CDL/BH. 

Eletrodomésticos e eletrônicos são os queridinhos

Os setores de eletrodomésticos e eletrônicos serão os mais procurados pelos consumidores (31,2%) segundo a pesquisa. As roupas aparecem em seguida com 14,6% e após vêm os calçados (11,8%). Veja mais produtos abaixo: 

- 11,2%: material esportivo, bebidas alcoólicas, móveis, joias e bijuterias, chocolates e pacote de viagens/passagens.
- 7,8%: cama, mesa e banho.
- 7,4%: cosméticos/perfumes. 
- 7,4%: utensílios domésticos/itens de decoração.
- 4,9%: acessórios (bolsas, mochilas, cintos e carteiras). 
- 3,7%: jogos eletrônicos.

Onde comprar? Na internet!

A maioria dos consumidores, cerca de 71%, utilizará a internet para fazer compras. Segundo a pesquisa da CDL/BH, os que irão adquirir produtos em lojas físicas correspondem a 27,6% e 1,4% irá utilizar as redes sociais. “O evento teve origem no e-commerce e é mais forte no comércio online. Isso explica o maior percentual de pessoas que irá buscar os sites de vendas para aproveitar as promoções”, explicou Silva.

Não me engane

De acordo com o estudo da CDL/BH, 49,5% fazem pesquisa de preços para comprar na Black Friday. Assim, evitam fraudes e aproveitam as melhores promoções. Ainda segundo o levantamento, 58,2% dos entrevistados afirmaram que já realizaram compras em outras edições da liquidação.

Outra constatação da pesquisa é de que 78,8% dos consumidores utilizarão a data para comprar itens pessoais e, portanto, não pretendem aproveitar os descontos para adiantar a aquisição dos presentes de Natal.