A polícia liberou nesta quinta-feira (29) o homem detido sob suspeita de envolvimento no ataque terrorista da semana passada na capital da Alemanha, após investigadores determinarem que ele não esteve em contato com o principal suspeito do atentado imediatamente antes do incidente.

O tunisiano de 40 anos foi detido na quarta-feira em Berlim. Segundo promotores federais, seu número de telefone estava salvo na agenda do celular de Anis Amri, o principal suspeito do atentado.

Segundo a porta-voz da promotoria, Frauke Koehler, investigadores suspeitaram que Amri tivesse enviado uma mensagem a ele antes do ataque de 19 de dezembro em um mercado de natal, que deixou doze mortos.

No entanto, "novas investigações determinaram que o homem não é o possível contato de Amri, o que motivou sua liberação".

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque e divulgou um vídeo em que Amri jura aliança ao seu líder, Abu Bakr Al-Baghdadi. 

Leia mais:
Mais um homem suspeito de ligação a ataque com caminhão em Berlim é preso
Em mensagem 'Urbi et Orbi', papa pede o fim da guerra na Síria
Alemanha procura eventuais cúmplices de autor de atentado de Berlim