O Líbano sofreu neste domingo (20) suas primeiras mortes em uma grande operação para expulsar o Estado Islâmico de uma área ao longo de sua fronteira com a Síria, quando uma bomba colocada na beira de uma estrada matou três soldados. As mortes ocorreram após o Exército apoiado pelos Estados Unidos lançar sua maior operação contra o grupo extremista, que ganhou espaço na região ao longo da fronteira libanesa com a Síria.

As Forças Armadas libanesas avançaram com a ofensiva no domingo em uma montanhosa região que faz fronteira com a Síria, capturando novas montanhas do Estado Islâmico. Uma bomba, porém, atingiu um dos veículos blindados e matou os três soldados. Um quarto militar ficou gravemente ferido.

Um porta-voz militar libanês, coronel Fadi Boueid, disse que as forças de seu país já capturaram dois terços da terra libanesa que era ocupada pelos extremistas. Apenas no domingo, foram recuperados 30 quilômetros quadrados, segundo o porta-voz.

Outra autoridade militar afirmou, pedindo anonimato, que as tropas capturaram várias montanhas nas proximidades da vila libanesa de Ras Baalbek. O Exército sírio e seu aliado, o grupo libanês xiita Hezbollah, lançaram uma operação simultânea para expulsar militantes do Estado Islâmico do lado sírio da fronteira. O Hezbollah tem lutado desde 2013 ao lado das forças do presidente sírio, Bashar al-Assad. Fonte: Associated Press.