Pelo menos 22 pessoas morreram em conflitos entre berberes (nômades) e árabes no sul da Argélia, o mais alto número registrado em dois anos de frequentes confrontos no país.

Segundo a agência oficial argelina, 19 pessoas feridas nos últimos dois dias em conflito entre árabes e berberes, no vale M'zab, morreram devido à gravidade dos ferimentos.

Casas, lojas, edifícios públicos e carros foram incendiados na região de Guerrara e na cidade de Ghardaia, a 600 quilômetros de Argel.

O presidente Abdelaziz Bouteflika convocou reunião de emergência e encarregou o comandante regional de supervisionar as ações dos serviços de segurança e autoridades locais para restabelecer a ordem pública.

Abdelaziz Bouteflika pediu também ao primeiro-ministro do país para punir todas as violações à lei.