TÓQUIO - A companhia Tepco indicou nesta sexta-feira (20) que o depósito do qual vazaram 300 toneladas de água radioativa há algumas semanas na central de Fukushima tinha problemas em sua montagem.
 
Ao desmontar para análise este depósito de 11 metros de altura por 12 de largura, composto de peças de aço, a Tepco descobriu cinco pinos instáveis entre as duas placas no fundo de sua parte interna. Esta falha descoberta pode ter originado o vazamento, mas nada está provado, indicou um porta-voz da Tepco, Masayuki Ono, em uma coletiva de imprensa.
 
A Tepco já havia reconhecido em agosto que este depósito Nº5 da zona 4 havia sido instalado inicialmente em outro local, mas que foi desmontado e transferido.
 
Embora a relação de causa e efeito entre a mudança de local e o vazamento ainda não esteja estabelecida, as suspeitas existem e foram reforçadas.
 
A água que vazou do depósito atingiu o piso e chegou parcialmente ao oceano Pacífico, que está a 500 metros de distância. Posteriormente, a Tepco reforçou os controles dos quase 300 depósitos do mesmo tipo que contêm água contaminada.