Dois jovens foram presos nesta quinta-feira (30) pelo furto de uma relíquia religiosa contendo um pedaço de tecido com o sangue do Papa João Paulo II, segundo a imprensa local. De acordo com o jornal Primadanoi, da região montanhosa dos Abruzos, onde aconteceu o furto há quase uma semana, os dois homens detidos, dependentes químicos de 23 e 24 anos, já são conhecidos dos serviços de segurança e confessaram o crime.
 
Eles foram presos depois de terem agredido dias antes um cobrador de ônibus que reconheceu a relíquia, mas apenas a parte metálica do objeto foi encontrada. Os dois homens afirmam que jogaram fora o tecido, mas os investigadores contestam essa versão. A agência de notícias Ansa afirmou que três pessoas no total foram detidas e que elas não sabiam do valor real do objeto.
 
A relíquia foi oferecida em 2011 à pequena igreja de San Pietro della Ienca,  um local muito frequentado pelo popular papa polonês, que costumava passear ou esquiar na área. Quase 50 policiais foram mobilizados para a busca do tecido impregnado com o sangue do Papa, que podia ser venerado pelos seguidores do futuro santo, que esteve à frente da Igreja Católica de 1978 a 2005.
 
João Paulo II e o papa italiano João XXIII serão canonizados no dia 27 de abril em uma celebração única no Vaticano, anunciou em setembro o papa Francisco. No dia 27 de abril é celebrada a Divina Misericórdia, uma festa criada por João Paulo II.