LAC-MEGANTIC - A empresa ferroviária americana proprietária do trem carregado de petróleo que avançou contra uma área urbana no sábado na província canadense de Québec acusou nesta terça-feira (9) os bombeiros locais de terem contribuído para a catástrofe que deixou pelo menos 13 mortos e 50 desaparecidos.

Em declarações concedidas à imprensa local, o presidente da empresa The Montreal, Maine e Atlantic Railway (MMA), Ed Burkhardt, considerou que a intervenção dos bombeiros do povoado de Nantes, duas horas antes do acidente, foi a causa do acidente.

Os bombeiros entraram em ação na sexta-feira para apagar um pequeno incêndio em uma das cinco locomotivas do trem com 72 vagões-tanque. Durante os trabalhos, eles cortaram a eletricidade da locomotiva, desativando os freios por engano.

Os bombeiros de Nantes "utilizaram um extintor de mão paga apagá-lo (o incêndio) e, para isso, pararam os motores da primeira locomotiva, desativando os freios de ar desta, o que desencadeou os demais acontecimentos", declarou Burkhardt em uma entrevista ao jornal La Presse.

O trem sem condutor se precipitou pelos trilhos que ligavam Nantes à localidade de Lac-Mégantic, descarrilando e provocando uma explosão nesta pequena cidade turística situada ao norte da fronteira americana, 250 km a leste de Montreal.


Bombeiros rejeitam acusações

Já o chefe dos bombeiros do município de Nantes, Patrick Lamberg, rejeitou as acusações.

"Quando chegamos, a locomotiva funcionava. Nós a paramos por segurança, é o protocolo de intervenção, é preciso parar o motor", afirmou ele, antes de lembrar que sua equipe foi chamada para intervir quatro vezes em oito anos para resolver problemas ligados à empresa proprietária do trem.

Os investigadores do Gabinete canadense de Segurança dos Transportes afirmaram nesta terça-feira que a prioridade será determinar as causas do incêndio que afetou uma das locomotivas. Serão examinados os procedimentos da companhia The Montreal, Maine e Atlantic Railway, assim como os sistemas de freios.

"Foi um problema mecânico ou um problema de lubrificação?, é preciso determinar a causa do fogo", disse à imprensa o principal investigador, Ed Belkaloul.

O registro provisório do acidente chega a 13 mortos e 50 desaparecidos.

A intensidade do incêndio foi tamanha que algumas casas de Lac-Mégantic ficaram sem paredes. A Polícia pediu que os parentes dos desaparecidos forneçam "escovas de dente, pentes e chapéus" que possam ter DNA para identificar os restos mortais.

Enquanto isso, cem mil litros de petróleo provenientes dos vagões que explodiram no sábado em Lac-Mégantic estão no rio Chaudiere e "existe o temor" de que o petróleo chegue esta noite ao rio San Lorenzo, disse à AFP na segunda-feira um porta-voz do Ministério do Meio Ambiente de Québec, Yves François Blanchet.