Ainda neste século o Facebook poderá se transformar em um cemitério digital. Pelo menos é o que sugere um pesquisador americano.

De acordo com Hachem Sadikki, doutorando em estatística da Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, em 2028 o Facebook vai parar de crescer e os perfis existentes serão transformados em memoriais. Assim, a rede social que hoje já tem mais de 1,5 bilão de usuários, terá mais perfis de pessoas mortas do que vivas.

O site Fusion foi quem publicou o resultado do estudo. Para chegar a esta conclusão, Hachem se baseou em dados sobre o próprio Facebook e em dados demográficos.

Atualmente, mais de 60% dos usuários do Facebook têm menos de 35 anos e menos de 5% têm mais de 65. De acordo com o blog Digital Beyond, 972 mil usuários da rede social nos Estados Unidos vão morrer ainda em 2016. Assim, caso a rede perder popularidade entre os jovens, ou parar de receber novos perfis, rapidamente o número de mortos irá ultrapassar o de vivos.

É parte da política do Facebook transformar um perfil em memorial logo que toma conhecimento da morte de um usuário. Assim, a empresa
permite que os familiares e amigos continuem a postar na linha do tempo do falecido. No entanto, caso a rede social não fique sabendo, o perfil continua ativo e alertas de aniversário, por exemplo, continuam a aparecer para os contatos.

Além disso, um perfil só poderá ser permanentemente deletado caso algum conhecido tenha a senha do falecido, já que o Facebook não fornece informações de logins, mesmo em caso de morte, porque viola as regras do site.