Os Estados Unidos informaram neste domingo (8) a suspensão dos serviços de visto não relacionados à imigração a partir de suas instalações diplomáticas na Turquia, após a prisão de um funcionário do consulado.

A embaixada dos EUA na capital turca de Ancara publicou em sua conta do Twitter uma declaração dizendo que os eventos recentes a forçaram a "reavaliar o compromisso do Governo da Turquia com a segurança das instalações da Missão dos EUA e de seus funcionários".

Esta semana, as autoridades turcas prenderam um funcionário do consulado americano de nacionalidade turca por supostas conexões com a rede do clérigo Fethullah Gülen, radicado nos Estados Unidos, a quem o governo turco culpa pelo recente golpe fracassado. Gülen nega o envolvimento. Metin Topuz é acusado de espionagem e "tentativa de derrubar o governo turco e a constituição".

O comunicado afirmou que a suspensão dos serviços de vistos a não imigrantes se tornou "efetiva imediatamente" para minimizar o número de visitantes à Embaixada dos EUA e ao Consulado por enquanto. Os serviços suspensos afetam a emissão de vistos para atividades relacionadas a negócios, turismo, tratamento médico, estudo, vistos diplomáticos e oficiais, entre outros.

Mais de 50 mil pessoas foram presas na Turquia e 110 mil foram demitidas de cargos públicos como parte de um estado de emergência declarado após a tentativa de golpe no País.