Os ministros das Finanças do G-20 e presidentes de bancos centrais declararam que coronavírus constitui novo risco para a economia global e concordaram em adotar políticas adequadas.

A reunião de dois dias, realizada na Arábia Saudita, terminou nesse domingo com a divulgação de declaração conjunta.

O documento prevê que o crescimento global se elevará moderadamente em 2020 e 2021. Menciona também riscos de queda provenientes de tensões geopolíticas e comerciais, além de incertezas sobre políticas públicas.

A declaração se refere ainda à crescente preocupação sobre a propagação do coronavírus.

Propagação do coronavírus

"Vamos ampliar o monitoramento do risco global, incluindo o do recente surto do Covid-19. Estamos preparados para adotar mais ações para enfrentar esses riscos".

Depois da reunião, Haruhiko Kuroda, presidente do Banco do Japão, disse que se preocupa com o possível impacto do coronavírus sobre a economia e mercados financeiros do país. Ele prometeu adotar todas as medidas necessárias.

Alguns investidores e economistas estrangeiros manifestaram preocupação com o impacto negativo do coronavírus sobre a economia japonesa e estão monitorando atentamente a resposta do governo.


Leia mais:
Brasil participa da 43ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU
Wuhan, onde o coronavírus surgiu, alivia medidas de isolamento
Mineiros que estavam em quarentena por causa de coronavírus devem chegar a Lagoa Santa neste domingo