Uma pequena erupção foi registrada na madrugada desta quarta-feira, 19, na região sudoeste do Japão, anunciou a agência nacional de meteorologia e a organização ecológica.

O Greenpeace exigiu que interrompam imediatamente as atividades de um reator nuclear próximo recém-ativado.

Em 15 de agosto, o nível de alerta do vulcão Sakurajima, na prefeitura de Kagoshima, foi elevado a 4 (em uma escala de 1 a 5), por causa de um repentino aumento dos movimentos vulcânicos (1.023 no dia 15).

O vulcão próximo da cidade costeira de Kagoshima, de mais de 600.000 habitantes, e a mil quilômetros a sudoeste de Tóquio.

Próximo também está a central nuclear de Sendai, cujo reator número 1 foi religado em 11 de agosto.

Sendai 1 é atualmente o único dos 48 reatores nucleares do Japão em funcionamento, depois de obter todas as autorizações técnica e políticas.

Mas o Greenpeace insiste há tempos no risco vulcânico da região, perigoso para uma instalação nuclear.

 "Com este aumento da atividade vulcânica, o reator Sendai 1 deve ser desligado imediatamente", afirmou o Greenpeace, em e-mail enviado à AFP.

 "Como a central de Fukushima não foi protegida da catástrofe de 11 de março (de 2011), a de Sandi não está pronta para enfrentar um desastre vulcânico", acrescentou.

A companhia reguladora da central, a Kyushu Electric Power, afirmou que o funcionamento da usina não está ameaçado e que, em caso de erupção do Sakurajima, serão tomadas as medidas necessárias para proteger as instalações.