O general Gregorio Álvarez, o último presidente do regime militar do Uruguai, morreu nesta quarta-feira aos 91 anos.

A morte foi confirmada pelo hospital das Forças Armadas.

Álvarez participou do golpe militar que dissolveu o Congresso em 1973 e se tornou chefe das Forças Armadas em 1978, chegando ao poder em 1981. Ele concordou em se retirar do poder em benefício de um político civil em 1984.

Durante a ditadura no Uruguai, centenas de militantes de esquerda foram presos e torturados pelo governo.

Em 2009, ele foi condenado a 25 a 25 anos de cadeia por sua responsabilidade na morte ou desaparecimento de 37 uruguaios que voltavam da Argentina após uma operação de repressão aos grupos de esquerda que ficou conhecido como" Operação Condor" Fonte: Associated Press.