PARIS - Uma integrante do grupo Femen, de topless e com uma arma de plástico, parodiou nesta quarta-feira (22) na Catedral Notre Dame de Paris a morte do "fascista" que cometeu suicídio ontem no mesmo local, um francês da extrema-direita.

Vestida apenas com um short vermelho e de salto alto, a ativista trazia pintado no corpo a inscrição "Que os fascistas descansem no inferno".

Em frente ao altar da catedral, local exato onde o escritor Dominique Venner cometeu suicídio, a mulher colocou a arma de plástico na boca e parodiou o acontecido na véspera.

Venner, de 78 anos, historiador, escritor e membro da extrema-direita francesa contrário à lei do casamento gay recentemente aprovada na França, se matou na terça-feira com um tiro no altar da catedral.

"Que vergonha!", "Louca!", gritaram alguns dos turistas que visitaram a Notre Dame e que assistiram à cena.

Ela repetia palavras de ordem como "Que o fascismo vá para o inferno" e "Acreditamos nos homossexuais".

A ação durou apenas alguns minutos. A mulher se dirigiu para a saída, mas foi contida por seguranças da igreja e, em seguida, detida pela polícia fora da catedral.