SÃO PAULO - O tribunal criminal de Paris adiou, nesta sexta-feira (13), para 19 de fevereiro de 2014 o julgamento de nove membros do grupo feminista Femen, acusado de ter danificado sinos da catedral de Notre Dame durante uma ação em fevereiro passado.

Este é o primeiro julgamento de militantes do Femen na França. Em 12 de fevereiro deste ano, as feministas invadiram a catedral enquanto faziam topless, como de costume, e, com pedaços de madeira, tocaram sinos que estavam provisoriamente expostos no chão da igreja, e gritaram palavras de ordem para celebrar a aposentadoria do Papa Bento 16 e contra a homofobia.

O tribunal adiou o julgamento para esperar pelos resultados de uma investigação sobre violência a que se acusam mutuamente as Femen e os membros de uma organização que garante a ordem no local, que as expulsou da catedral.

O advogado do Femen, Patrick Klugman, havia solicitado o adiamento assim que o processo foi aberto. A intervenção foi violenta e algumas das acusadas são, realmente, as vítimas, o advogado alegou, acrescentando que é possível que os danos aos sinos tenham sido causados pelos guardiões da ordem.
Estamos aqui por causa da blasfêmia, disse antes da audiência Inna Shevchenko, líder da organização feminista.